Quebra do mercado chinês penaliza cerveja nacional

Guerra comercial das multinacionais faz cair para metade as importações chinesas. Total das exportações nacionais no valor mais baixo da década

A China está em vias de perder o lugar cimeiro no ranking dos principais mercados de destino das cervejas portuguesas. Uma liderança conquistada em 2016, por força da crise no mercado angolano, mas que está em risco, fruto da guerra comercial decretada pelas grandes multinacionais do sector à cerveja portuguesa no país mais populoso do mundo. E as exportações nacionais já se ressentem: em 2018, venderam-se menos quase 30 milhões de litros para a China, o que fez perder 27 milhões de euros. Uma quebra de 44,3%. Nos dois primeiros dois meses do ano a situação agravou-se e a quebra é de 54,8%.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.