Constâncio autorizou empréstimo a Berardo

Vítor Constâncio era governador do Banco de Portugal (BdP) quando autorizou Joe Berardo a levantar 350 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos (CGD) para comprar ações do BCP, em 2007, noticia o jornal Público.

O agora vice-presidente do Banco Central Europeu omitiu que tinha autorizado o levantamento de 350 milhões de euros por parte de Joe Berardo quando foi ouvido pela Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão da CGD, a 28 de março. "Claro que [o BdP] só tem conhecimento delas [operações de crédito] depois", disse então.

Mas, segundo os documentos a que o Público teve acesso, a 21 de agosto de 2007, o conselho de administração do BdP, chefiado por Vítor Constâncio, reuniu-se para autorizar o empréstimo de 350 milhões de euros a Joe Berardo. Nesse dia, a Fundação Berardo informou que planeava investir no BCP com recurso "a fundos disponibilizados pela CGD, através de contratos de abertura de crédito em conta-corrente, celebrado a 28 de maio de 2007, até ao montante de 350 milhões de euros pelo prazo de cinco anos".

O objetivo era que Joe Berrado reforçasse a sua posição no BCP, passando esta de 3,99 % para 9,9 %.

Com base na documentação e justificações apresentadas pela Fundação Berardo, e, mediante a promessa da penhora dos títulos (não garantias reais), o conselho de administração do BdP autorizou a operação financeira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.