Governo cria grupo de trabalho para organizar e avaliar Web Summit até 2028

Cimeira deve ficar em Lisboa por mais uma década

O Governo cria um grupo de trabalho para organizar e coordenar a conferência de empreendedorismo Web Summit, que vai ter anualmente lugar em Lisboa nos próximos dez anos, segundo um despacho hoje publicado.

O diploma, que entra hoje em vigor, dia da publicação em Diário da República, define que o grupo será composto por representantes designados pelos primeiro-ministro, ministros dos Negócios Estrangeiros, da Administração Interna e da Economia, secretários de Estado da Internacionalização, da Economia e do Turismo, e ainda pelas Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, Instituto do Turismo de Portugal, Câmara Municipal de Lisboa, Associação Turismo de Lisboa, Serviço de Informações e Segurança e da associação Startup Portugal.

A missão do grupo de trabalho é a de preparar, organizar e coordenar a Web Summit, em cada ano do período de 2019 a 2028, depois de, em novembro do ano passado, ter ficado decidida a permanência da conferência em Portugal por mais 10 anos, após uma candidatura com sucesso da cidade de Lisboa.

A criação do grupo pretende, assim, segundo o executivo, afirmar uma estratégia de longo prazo, "enquanto fator de atração de investimento em áreas de elevado valor tecnológico, de desenvolvimento de um ambiente propício à inovação e de promoção da imagem global" de Portugal como destino "sofisticado e inovador".

No despacho, o Governo atribui ainda ao grupo de trabalho a missão de, após o encerramento de cada edição do Web Summit, apresentar um relatório intercalar, e findo o seu mandato, em 31 de março de 2029, um relatório final, ambos sobre a atividade desenvolvida e os resultados alcançados.

"Importa destacar a enorme relevância que um evento desta natureza representa para o nosso país, colocando-o no mapa das empresas mais inovadoras e empreendedoras do mundo", argumenta o executivo.

O grupo de trabalho vai funcionar na dependência do secretário de Estado da Economia.