Eurogrupo. Mecanismo Europeu de Estabilidade pode emprestar até 2% do PIB a cada país europeu

Nada foi decidido relativamente à questão das "eurobonds". O Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM na sigla em inglês), atualmente o maior credor de Portugal, vai ajudar os Estados a combater a crise do coronavírus.

O Eurogrupo concordou que o mecanismo possa emprestar a cada país um valor equivalente a 2% do produto interno bruto (PIB), o que no caso de Portugal pode ir até 4,2 mil milhões de euros, a preços de 2019, segundo contas feitas pelo Dinheiro Vivo tendo por base o PIB de 2019.

Já na questão das eurobonds (obrigações europeias, dívida pública mutualizada) continua o impasse, infere-se da nota enviada pelo conselho informal dos ministros das Finanças dos países do euro, liderado atualmente por Mário Centeno. Não houve qualquer decisão digna de referência no comunicado.

Esta nova linha de crédito do ESM, que o Eurogrupo desta terça-feira diz ser "mais uma barreira de defesa" contra a crise, será dinheiro que só pode ser usado com despesas relacionadas com o coronavírus, mas as taxas de juro a aplicar deverão ser muito baixas, como tem sido habitual nos empréstimos do ESM.

Em todo o caso, sendo um empréstimo, o dinheiro terá de ser devolvido e os países vão ter de observar algumas condições de modo a garantir que "regressam a uma situação de estabilidade", diz Centeno.

Leia as atualizações a esta notícia aqui

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG