Conselho das Finanças. Centeno pode mesmo chegar a um excedente já em 2019

Saldo final de 2019 entregue por Centeno pode ficar "em torno do equilíbrio não sendo de excluir a possibilidade de um ligeiro excedente orçamental"

As contas públicas portuguesas poderão dar o primeiro excedente orçamental da História democrática e não o défice mais baixo, como prevê Mário Centeno, o ministro das Finanças, no Orçamento do Estado de 2020 (OE2020), aprovado esta quinta-feira.

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) insiste que há, de facto, condições para que o saldo orçamental final de 2019 (em contas nacionais, as que interessam a Bruxelas e para avaliar o cumprimento do Pacto de Estabilidade) fique "em torno do equilíbrio, não sendo de excluir a possibilidade de um ligeiro excedente orçamental", diz a entidade que fiscaliza a gestão orçamental.

O Conselho, que é presidido por Nazaré Costa Cabral, já tinha relevado esta possibilidade de Centeno entregar não um défice de 0,1% do produto interno bruto (PIB), mas sim um saldo zero ou mesmo um ligeiro excedente. A UTAO também alinha nesta possibilidade.

[Em atualização]

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG