Auchan online com fila de espera, Continente e Mercadão com entregas paradas

Elevada procura, na sequência do surto de Covid-19, tem gerado dificuldades de resposta logística aos sites de retalho alimentar.

A Auchan instalou um sistema de filas de espera para os utilizadores que optem por fazer compras no online na cadeia de distribuição. No Continente online os clientes que pretendem fazer compras recebem mensagem para "tentar mais tarde" e no Mercadão, marketplace que assegura entregas do Pingo Doce, atingiu "pico de entregas" e estão a prestar serviço com prazos mais dilatados.

Os sistemas de compras online dos retalhistas alimentares estão a registar picos de procura com o surto do Covid-19 a levar os consumidores nacionais a optar por fazer as suas compras de supermercado online, seguindo as recomendações da Direção-Geral de Saúde se manterem resguardados em sua casa.

Se entrar no site e compras online da Auchan o consumidor depara-se com uma mensagem: "Você está na fila para Auchan. Quando for a sua vez, terá 30 minutos para concluir a sua compra", pode ler-se. Na altura mais de 1400 consumidores estavam a tentar realizar compras no site, sendo previsto mais de 30 minutos de espera para poder realizar as compras. Sair do site implicava perder o lugar na fila.

Até ao momento ainda não foi possível obter uma posição da Auchan, mas no site da cadeia é possível obter informação sobre as medidas de contingência levadas a cabo pelo retalhista alimentar e que se estendem ao serviço de entregas ao domicílio.

"Desde 14 de março que as entregas ao domicílio estão a ser realizadas à porta de sua casa, e não no interior, como habitualmente. Para todas as entregas ao domicílio, Drive ou recolhas em loja, limitaremos os pagamentos no ato da entrega, passando a disponibilizar apenas o pagamento online no site ou na App."

"Face ao aumento da procura dos últimos dias, e como forma de agilizar a preparação de encomendas, implementámos também um procedimento temporário de substituição automática de produtos, em caso de indisponibilidade. Por favor, verifique-os no momento da entrega e caso não esteja de acordo com alguma substituição, devolva-os ao nosso colaborador", informa a Auchan.

Na semana passada, a Sonae MC admitia picos de procura no site online do Continente e, na sexta-feira, uma simulação de compra dava data de entregas para 28 de março. Esta segunda-feira quem tentar fazer compras online recebe uma mensagem a pedir que volte mais tarde."De momento não é possível efetuar a operação pretendida. Por favor tente mais tarde", informa o Continente Online.

"Face ao elevado número de acessos ao website do Continente, tem-se verificado alguma indisponibilidade e dificuldade de acesso temporário. Estamos a envidar todos os esforços para repor o normal funcionamento do site", reage fonte oficial da Sonae MC. "O acesso ao Continente Online mais do que triplicou nas últimas semanas. Até ao momento o Continente tem realizado todos os esforços para conseguir dar resposta a este aumento da procura. Não se registaram quebras de nenhum bem essencial."

O Mercadão, marketplace que no retalho alimentar assegura entregas do Pingo Doce, também está a refletir o aumento de procura dos consumidores. No site, os consumidores deparam-se com uma mensagem: "Pico de entregas: Entregas esgotadas nos próximos dias".

"Capacidade cheia para vários dias de entrega em algumas zonas; alguns atrasos pontuais e mais rupturas", informa o Mercadão no site. "Estamos a fazer o nosso melhor para repor a atividade normal o quanto antes".

Ao Dinheiro Vivo, o CEO Gonçalo Soares da Costa, explica que o pico de procura tem levado a que, em determinados momentos, os consumidores não consigam concretizar a sua encomenda por falta de janela de entrega. O que não quer dizer que não venha a ter nos dias seguintes.

"A capacidade de entregas para os próximas dias já está ocupada, mas todos os dias o Mercadão tem vindo a acrescentar capacidade de entrega para servir mais portugueses", Gonçalo Soares da Costa, com a contratação de personal shoppers. Neste momento, têm mais de 150 shoppers.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG