Apple lança dois novos relógios e um deles mede o oxigénio no sangue

Marca também apresentou o seu novo iPad Air e o iPad de oitava geração. O novos iOS14 para iPhone chega já amanhã

Os aficionados da Apple terão uma série de novos produtos por onde escolher a partir das próximas semanas. No seu evento de fim de verão, a marca lançou dois novos relógios inteligentes, Watch Series 6 e Watch SE, um novo iPad Air com autenticação por impressão digital no topo e um iPad de oitava geração com um preço mais baixo.

A empresa liderada por Tim Cook, que desta vez apresentou um evento pré-gravado a partir do Apple Park, em Cupertino, também introduziu novos pacotes de serviços, que estarão disponíveis lá mais para o fim do ano. Esta quarta-feira, o novo iOS 14 fica disponível para download e atualização dos iPhone.

Há dois novos modelos do relógio inteligente Apple Watch: o topo de gama Series 6 e uma versão mais barata
para atrair novos clientes, Watch SE. Este último custará 279 dólares e, segundo o diretor de operações Jeff Williams, tem "todas as funcionalidades" que os utilizadores mais gostam. Traz o processador S5, o que o torna duas vezes mais rápido que o Watch Series 3, e é uma forma de tornar o relógio acessível para mais clientes.

A novidade foi introduzida durante o evento de fim de verão que a Apple transmitiu hoje e foi pré-gravado no Apple Park com vários executivos da empresa. Enquanto o Watch SE é um aceno a clientes com orçamentos mais curtos, o novo Watch Series 6 reforça as capacidades relacionadas com a saúde, um nicho em que a Apple se tem destacado. A grande novidades deste modelo é a capacidade de medir os níveis de oxigénio no sangue, uma funcionalidade essencial para detetar as fases iniciais de doenças respiratórias, segundo explicou a empresa. É uma novidade que chega em plena pandemia de covid-19, sendo que a Apple anunciou uma série de parcerias com equipas académicas e médicas, como o Seattle Flu Study, para trabalhar nesta deteção.

O outro destaque é a adição de funções ligadas ao exercício físico, incluindo o serviço Fitness+, que custará 9,99 dólares por mês ou 79,99 por ano e dará acesso a aulas virtuais e professores individuais. Na fase inicial, este serviço só estará disponível numa mão cheia de países, como Estados Unidos e Reino Unido. Mas este lançamento não é o único no âmbito dos serviços: nota-se que é aqui que a Apple continua a apostar as suas fichas. A marca anunciou a criação de pacotes de serviços por uma única mensalidade. O Apple One permite acesso a pacotes com Music, Cloud, TV, Fitness e outros a partir de 14,95 por mês.

A Apple apresentou os novos produtos e software num evento transmitido a partir de Cupertino, Califórnia, sem público por causa da pandemia de covid-19. Apesar de cair no calendário habitual, uma terça-feira de setembro, este evento não é a típica grande apresentação da marca. O novo iPhone 12 não foi apresentado hoje.

Quando é que veremos os próximos iPhones? O que circula nos bastidores é que há quatro novos modelos e estes serão introduzidos algures em outubro. Por causa da pandemia, os planos da Apple para 2020 tiveram de ser reformulados, sendo que o evento de março não aconteceu.

Ana Rita Guerra é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG