Deduções específicas IRS 2023: o que são?

Se ainda não sabe o sabe o que são as deduções específicas, pode estar a pagar mais IRS do que efetivamente necessita.

Dinheiro Vivo

As deduções específicas são despesas que abatem ao rendimento bruto dos contribuintes - e em alguns casos podem representar centenas ou mesmo milhares de euros de poupança. Descubra o que são estas deduções, quais as despesas elegíveis e quais os tetos máximos para o que pode abater.

O que são deduções específicas IRS?

De forma resumida, as deduções específicas funcionam como qualquer outra despesa apresentada para efeitos de IRS - abatem ao rendimento bruto e fazem com que a matéria coletável, a parte do rendimento sobre o qual incide o imposto, seja inferior. Por isso, quanto mais despesas - específicas ou não - tiver durante um ano, menos IRS irá pagar.

Estas deduções chamam-se "específicas" porque variam consoante o tipo de rendimentos de cada pessoa. Quem aufere rendimentos de profissões de desgaste rápido, por exemplo, pode deduzir despesas diferentes de quem tem rendimentos prediais. Na maior parte dos casos, o valor é calculado automaticamente aquando da entrega do IRS - mas convém sempre verificar se todas as despesas foram consideradas.

Porque é que são importantes?

As deduções específicas no IRS têm um impacto direto no rendimento líquido disponível. Por exemplo, as despesas incorridas no desempenho de uma função profissional ou da manutenção de imóveis são exemplos que podem fazer toda a diferença. Os limites associados a cada categoria, definidos pelo Governo, definem qual o valor que terá disponível para fazer face ao seu custo de vida mensal.

É por isso que as alterações efetuadas a estes limites são recebidas pelos contribuintes com alguma apreensão, sendo que o Estado tem vindo a ajustar os valores a cada Orçamento do Estado. Nos últimos anos, o objetivo do Governo tem sido aumentar o rendimento líquido disponível das famílias, como forma de combater a inflação, a subida das taxas de juro e a crise económica que tem assolado os portugueses.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia