Agosto extraordinário na execução orçamental dá folga para os novos apoios

Finanças dizem que saldo orçamental está "a melhorar devido ao dinamismo económico e à dissipação dos efeitos da pandemia".

As contas públicas portuguesas registaram um excedente histórico em agosto, o maior das séries das Finanças (que remontam a 2013) neste mês de verão.

Com um saldo positivo de 2,3 mil milhões de euros em agosto, que é também o segundo maior saldo acumulado nesses registos da execução orçamental, o governo sentiu ter folga para avançar com o enorme pacote de apoios às famílias e empresas, no valor de 2,4 mil milhões de euros, anunciado em setembro e que vai começar a pagar em outubro.

As contas públicas reforçaram a sua posição excedentária (desde junho que assim é) e terminaram o período de janeiro a agosto com um excedente substancial, superior a 2,3 mil milhões de euros.

Segundo informou, esta segunda-feira, o Ministério das Finanças liderado por Fernando Medina, o saldo orçamental está "a melhorar devido ao dinamismo económico e à dissipação dos efeitos da pandemia".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG