Veríssimo: "Jesus? Temos é de nos preocupar com os jogos que faltam"

O treinador interino do Benfica escusou-se a abordar o eventual regresso de Jorge Jesus ao clube, justificando que não está dentro das suas competências.

Nélson Veríssimo, treinador interino do Benfica, não quis esta quarta-feira alongar-se sobre a possibilidade de Jorge Jesus assumir o comando técnico da equipa na próxima temporada.

"É uma questão que tem sido colocada nos últimos dias, mas não é uma área da minha intervenção. Temos é de nos preocupar com os jogos que nos faltam jogar até ao final da Liga e o jogo da final da Taça de Portugal com o FC Porto", assumiu, recusando-se a responder se será uma boa solução para o futuro da equipa: "Uma boa solução para o Benfica é ganhar o jogo de amanhã com o Famalicão. Percebo a curiosidade é uma questão que me diz respeito, mas ultrapassa as minhas competências."

Os encarnados jogam esta quinta-feira, 21.30 horas, em jogo da 31.ª jornada da I Liga, em que estão obrigados a ganhar para manter as ténues esperanças de chegar ao título. Nélson Veríssimo considera que o Famalicão é "uma equipa organizada, competitiva e muito equilibrada", razão pela qual diz tratar-se de "uma equipa que está a fazer um bom campeonato, com uma forma de jogar e princípios muito bem definidos, e que gostam de ter bola". Nesse sentido, garante que "o Benfica terá de estar bem em todos os momentos do jogo".

"Estamos preparados, sabemos que vai ser um jogo difícil, mas obviamente que o nosso pensamento passa pela vitória", acrescentou, admitindo que a sua equipa tem de estar "muito bem organizada e ser muito competitiva" para ultrapassar o Famalicão.

Questionado sobre a razão pela qual o Famalicão sofrer muitos golos, Nélson Veríssimo diz ser porque "gosta de jogar como equipa grande". "Gostam de ter a bola, de ocupar os espaços na amplitude máxima do campo e com esse posicionamento, por vezes, pode desequilibrar-se. Como tal, esse é um dos aspetos que vamos procurar explorar", afirmou, lembrando os resultados dos famalicenses com o Sporting e FC Porto para constatar que será "um jogo difícil". "Contudo, acreditamos que vamos fazer um bom jogo e lutar pela vitória", frisou.

O técnico benfiquista assumiu que o objetivo até final do campeonato é "tentar conseguir quatro vitórias", mas quanto à pressão de ter de ganhar se o FC Porto conseguir os três pontos em Tondela, deixou uma certeza: "Pode não acreditar, mas não sabia que o FC Porto joga antes de nós. Sabemos o que temos de fazer e o nosso objetivo passa por ganhar os quatro jogos que faltam na Liga. É com esse espírito que vamos para o jogo de amanhã."

Veríssimo garantiu ainda que os quatro jogos que faltam para o fim da I Liga não terão a finalidade de preparar a final da Taça de Portugal. "Ainda temos quatro jogos pelo meio. Sabemos que temos de preparar esse jogo, mas não é uma questão prioritária neste momento", assumiu, acrescentando que a vitória frente ao Boavista ajudou a melhorar o ânimo da equipa: "É óbvio que a cara de quem ganha é sempre diferente da cara de quem não ganha. Uma vitória traz outra forma de estar a qualquer equipa profissional. Foi o que aconteceu connosco."

Questionado sobre se os próximos jogos, o Benfica será uma equipa mais à sua imagem, Nélson Veríssimo lembrou que esteve integrado na equipa técnica de Bruno Lage "que tinha uma forma de trabalhar e uma ideia de jogo" com a qual se identificava. Nesse sentido, deixou uma garantia: "A linha de raciocínio será em grande parte a mesma, mas depois com uma ou outra dinâmica que possa ser implementada face aos jogadores disponíveis e ao adversário."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG