Veja o golo 700 de Ronaldo e outros que ficaram para a história

O capitão da seleção chegou ao número redondo esta noite na Ucrânia. Pela seleção nacional foi o 95.º e está mais perto do recorde de Ali Daei (109).

Está feito! Cristiano Ronaldo marcou o golo 700 da sua carreira (contabilizando só jogos da seleção principal e em clubes que atuou como sénior) no jogo entre Portugal e a Ucrânia, de apuramento para o Euro 2020, que a seleção nacional perdeu por 2-1.

A maior fatia deste bolo de 700 golos pertence à passagem de nove anos pelo Real Madrid (2009 a 2018), período em que CR7 faturou por 450 vezes (em 438 jogos) pelo emblema da capital espanhola, tornando-se o melhor marcador do clube em todas as competições, na liga espanhola (311 golos) e na Liga dos Campeões (105).

Antes, foi ganhando jeito no Sporting, onde marcou por cinco vezes (em 31 jogos) na temporada 2002-2003, a primeira como profissional, e sobretudo no Manchester United, clube pelo qual apontou 118 golos (em 292 jogos) entre 2003 e 2009. E depois de ter marcado uma era no Real Madrid, vai continuando a exibir a veia goleadora na Juventus, onde está desde o verão do ano passado: 32 golos em 51 jogos.

Recorde aqui alguns dos melhores golos de sempre de Ronaldo.

Veja aqui o primeiro golo de Ronaldo com a camisola do Sporting.

Pela seleção leva 95 golos (em 162 jogos) e está cada vez mais próximo do melhor marcador de sempre ao serviço de seleções, Ali Daei, autor de 109 remates certeiros ao serviço do Irão. O primeiro golo de Ronaldo com a camisola da seleção nacional aconteceu em junho de 2004, no jogo inaugural do torneio, em que Portugal foi derrotado (1-2) pela Grécia.

Veja aqui o primeiro golo de Ronaldo pela seleção portuguesa.

Há cerca de um mês, numa entrevista, Cristiano Ronaldo elegeu o golo mais bonito da sua carreira. E, sem surpresa, revelou que foi aquele que apontou à Juventus, num magnífico pontapé de bicicleta, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões de 2017, quando ainda vestia as cores do Real Madrid.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.