Varandas: "Amorim é o treinador certo para valorizar plantel em 30 ou 40 milhões"

O presidente do Sporting apresentou o novo treinador como sendo uma peça da "mudança de paradigma" do clube. Rúben Amorim admitiu que foi contratado a pensar já na próxima época, mas lembrou que "não havendo resultados pode não haver próxima época".

Frederico Varandas anunciou esta quinta-feira, em Alvalade, que Rúben Amorim "é o treinador do projeto" que tem para o Sporting e garantiu que a contratação ao Sp. Braga por 10 milhões de euros "não representa um all in financeiro", pois "jamais compromete financeiramente o clube".

O presidente do Sporting assumiu que a chegada deste novo treinador coincide com uma "mudança de estratégia, de rumo e de paradigma". "O orçamento para o futebol foi decidido há meses, e esta contratação não aumenta esse orçamento", garantiu. "Podemos discutir se é muito ou pouco, mas para nós o Rúben Amorim vai potenciar valor", frisou.

"É o treinador certo para valorizar o plantel em 30 ou 40 milhões de euros, pode fazer com que um treinador de sub-23 possa ser vendido por 20 ou 30 milhões", garantiu, lembrando que "por vezes, é barato sai caro, e o caro torna-se barato". "O nosso critério foi a competência. O mercado de treinadores não é muito diferente do de jogadores, pois o futebol português não consegue atrair treinadores de renome internacional... não querem vir e não é só por questões financeiras", justificou.

E, nesse sentido, o presidente do Sporting deixou uma previsão para o futuro: "Dentro de alguns anos, o Rúben Amorim será demasiado grande para o futebol português. Se este treinador fosse apresentado noutro clube deste país era uma grande jogada, aqui é um grande risco." Varandas acrescentou ainda que o novo técnico está sintonizado com a "visão de potenciar jogadores da formação". E por isso reforça a ideia de que se trata de "uma mudança do paradigma".

A finalizar, o líder leonino garantiu que Rúben Amorim "é um grande treinador, mas não é um milagreiro. Tem muita ambição, crer, conhece a realidade futebol português e sabe o que é trabalhar num clube grande". "Estamos alinhados e hoje arranca a época 2020-21 para o Sporting", frisou, antes de agradecer o trabalho desenvolvido por Jorge Silas.

Rúben Amorim: "Fanático por ganhar"

Rúben Amorim chega ao Sporting depois de uma carreira de jogador em que esteve ligado ao grande rival e, nesse sentido, foi questionado sobre como é que "um fanático benfiquista" aparece agora no grande rival. O novo técnico driblou a questão com diplomacia: "Sou profissional de futebol e fanático por ganhar. O meu foco é defender esta casa como defendi o Casa Pia. O meu empenho é igual em todos os clubes. Sei a grandeza do Sporting, não venho esconder o meu passado e enquanto adversário ficamos a conhecer a grandeza deste clube. Ninguém quer ganhar mais do que eu."

O treinador admitiu que se trata de "um grande desafio", mas também "um orgulho enorme" estar e defender o Sporting. "Espero que as pessoas também acreditem em mim, pois o meu foco é o trabalho. Sei que o que interessa é quem ganha e estou preparado para essa exigência", disse.

Amorim explicou que foi seduzido por "um projeto a longo prazo, mas com a exigência de ganhar amanhã, de valorizar jogadores, o clube e a formação", como tal elevou a fasquia: "Tenho a noção do que é a formação do Sporting e o objetivo é voltar a ser a escola número um na formação de talentos."

Sobre o facto de ser o treinador português mais caro de sempre, Rúben Amorim lembrou que "o treino e a exigência seriam os mesmos, qualquer que fosse o valor pago". "Agradeço a confiança e estou preparado para retribuir. No fim faremos as contas", acrescentou, admitindo que "seria mais cómodo" para o presidente e para ele próprio "esperar até final da época, mas primeiro está o Sporting". "Temos de preparar a próxima época, sabendo que não havendo resultados pode não haver próxima época", admitiu.

Rúben Amorim deixou ainda a certeza de que "não foi por motivos financeiros" que aceitou o convite do Sporting. "Se não ganhasse aqui ia ganhar noutro lado. Perguntaram-me, e se corre mal? E eu pergunto, e se corre bem? Se conseguirmos dar uma nova vida ao Sporting? Talvez tenha escolhido o desafio mais difícil, mas foi o que quis", frisou.

"Treinador tem de provar que merece estar no Sporting"

No momento de chegar a um grande do futebol português com apenas dois meses de treinador na I Liga, Rúben Amorim admitiu que "não esperava este percurso", mas deixou a garantia de que se sente "preparado para o desafio". "A importância, orgulho, honra e responsabilidade é gigante, mas passo a passo vamos preparando o clube, vamos melhorar a equipa, os jogadores e ajudar a lançar jogadores da formação", sublinhou.

Depois de agradecer as palavras de Jorge Silas quando se despediu, Rúben Amorim não quis disse ter encontrado um plantel "aberto a novas ideias", mas deixou um aviso: "Temos de ter tempo e habituar-nos uns aos outros, sabendo que isto vai levar bastante tempo."

Sobre a próxima época, não quis adiantar em que jogadores está a pensar para reforçar a equipa, mas deixou um, aviso: "Todos temos de provar que merecemos estar no Sporting e o primeiro a ter de provar é o treinador."

Questionado sobre o vaticínio de Frederico Varandas sobre o facto, dentro de uns anos, Rúben Amorim será demasiado grande para o futebol português, o técnico admitiu que "é um orgulho ouvir isso", mas deixou uma certeza: "Não mexe nada comigo. Os treinadores vivem numa constante montanha russa, não ganhando jogos sou demasiado pequeno até para estar na I Divisão. Temos de provar dia a dia."

Rúbem Amorim disse que o foco da equipa tem agora de ser a cada jogo e explicou porquê: "Seria mais fácil dizer que vamos lutar pelo título, mas vamos é lutar em cada jogo, ser competitivos, correr mais do que os outros e suar a camisola, afinal a pressão é inerente ao Sporting."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG