Uma vitória arrancada a ferros

O Benfica foi a Tondela vencer, por 1-0, com um golo de Ferro. Encarnados partilham agora a liderança com o FC Porto, que venceu o Famalicão este domingo.

Bruno Lage tem insistido na necessidade de o Benfica voltar às boas exibições de início de época, mas não tem sido fácil para a equipa encarnada fazer a vontade do treinador. Este domingo foi mais um jogo assim-assim da equipa encarnada, que chegou ao triunfo com um golo de Ferro (19 minutos) de bola parada. Apesar da exibição cinzenta, as águias conquista uma importante vitória no terreno do Tondela, que acabou o jogo com mais remates à baliza do que o Benfica. As águias partilham agora a liderança com o FC Porto, que venceu o Famalicão, que era líder até hoje.

Em Tondela os encarnados até entraram mais fortes no jogo e tiveram uma oportunidade de golo logo aos dois minutos de jogo. Pizzi rematou cruzado do lado direito do ataque benfiquista, mas Cláudio Ramos não o deixou fazer o golo. Apesar do sufoco inicial do Benfica, o Tondela, a jogar largo e muitas vezes ao primeiro toque, libertou-se bem da pressão e respondeu com duas excelentes oportunidades de golo. Primeiro por Denilson Jr. a atirar para um excelente defesa de Vlachodimos com a perna, depois por António Xavier, que rematou ao lado.

O jogo ficou então mais dividido e o Benfica passou a ser mais pragmático e a tentar aproveitar as bolas paradas para chegar ao golo. E foi assim, na marcação de um canto, que Ferro adiantou as águias no marcador. O central estava liberto de marcação e nem precisou de saltar para de cabeça fazer o 1-0. O golo sofrido não intimou os nortenhos, que na jogada praticamente a seguir podiam ter feito o empate, mas o cabeceamento de Denilson Jr saiu por cima da baliza de Vlachodimos.

Com três alterações no onze - entradas de André Almeida, Pizzi e Taarabt para os lugares de Tomás Tavares, Gedson Fernandes e o lesionado Rafa Silva - os encarnados tentavam explorar as fragilidade de um esquema três centrais dos tondelenses orientados por Natxo González. Para isso recorriam aos passes de rotura de Gabriel, mas a equipa mostrava dificuldades na construção e acumulava passes falhados. Lage não estava satisfeito só com a posse de bola (60% ao intervalo) e pedia que Taarabt jogasse mais próximo de Seferovic, que voltou a ser o avançado de serviço.

Segunda parte aborrecida e sem remates à baliza

O intervalo chegou com o Benfica em vantagem (um golo em dois remates) apesar de um Tondela mais rematador (quatro remates na direção da baliza). As equipa voltaram dos balneários com os mesmo onze da primeira parte, mas rapidamente Lage percebeu que precisava e mais velocidade no jogo e mandou aquecer Vinícius, Gedson e Chiquinho. O primeiro a entrar foi Chiquinho (para o lugar de Taarabt), que voltou ao eleitos dois meses após lesão. A ideia do técnico encarnado seria a de formar um triângulo a meio campo com Gabriel e Florentino e assim criar mais linhas de passe...

Depois de 20 minutos mornos, Natxo González também mexeu na equipa e mudou o esquema de três para quatro defesas, com a troca de Philipe Sampaio por Richard Rodrigues. A equipa perdia apenas por 1-0 e o empate era uma possibilidade. Talvez por isso o técnico espanhol tenha dado ordens aos três homens da frente para descerem menos no terreno. Depois Denilson Jr, um dos melhores em campo, lesionou-se e obrigou o treinador do Tondela a esgotar as substituições e a resignar-se com o destino. Já era tarde para fazer algo bum jogo quase sem história.

À oitava jornada valeram "os três pontos preciosos na luta pelo título", admitiu Lage, que voltou a ver um Benfica de serviços mínimos vencer, desta vez, o Tondela. Um triunfo que ajudou o técnico a bater um recorde. Bruno Lage atingiu a 25ª vitória em 27 jogos no campeonato, tornando-se no treinador mais rápido de sempre do Benfica a chegar à marca das 25 vitórias naquela competição, destronando o chileno Fernando Riera que, em 1962/63, precisou de 28 jogos para alcançar essa mesma marca.

Foi o quinto triunfo das águias em outras tantas deslocações ao terreno beirão. Já o Tondela vendeu cara a derrota, mas continua sem conseguir vencer no Estádio João Cardoso.

FIGURA

Gabriel. Apesar de Vlachodimos ter segurado a vantagem do Benfica foi Gabriel quem mais se destacou. Foi uma exibição bem conseguida do médio a impedir as saídas rápidas para o ataque dos tondelenses. Não deu muitas nas vistas - exceção a um passe longo a desmarcar Grimaldo -, mas foi o homem mais regular de um Benfica cinzento em Tondela.

. Veja o golo que deu o triunfo ao Benfica

FICHA DE JOGO

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela - Benfica, 0-1.

Marcador: 0-1, Ferro, 19 minutos.

Equipas:

Tondela: Cláudio Ramos, Moufi, Yohan Tavares, Bruno Wilson, Filipe Ferreira (Jonathan Toro, 81), Jhon Murilo, Philipe Sampaio (Richard Rodrigues, 74), Pepelu, Xavier, João Pedro e Denilson Junior (Tomislav, 83).

Treinador: Natxo González.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Ruben Dias, Ferro, Grimaldo, Taarabt (Chiquinho, 66), Florentino, Gabriel, Pizzi (Vinícius, 87), Cervi (Jardel, 90+4) e Seferovic.

Treinador: Bruno Lage.

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Florentino (27 minutos), André Almeida (84) e João Pedro (90+2)

Assistência: 4705 espetadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG