Simone Biles. As 21 medalhas históricas e os movimentos inéditos

Americana tem 21 medalhas e está a duas de igualar o recorde absoluto

A norte-americana Simone Biles conquistou esta terça-feira a 21.ª medalha em Mundiais de ginástica da carreira, com a vitória da equipa dos Estados Unidos na prova coletiva em Estugarda, Alemanha.

As norte-americanas bateram a Rússia, segunda, e a Itália, terceira, e venceram o sétimo título coletivo de equipas em Olímpicos ou Mundiais.

Quanto a Biles, desempatou com a russa Svetlana Khorkina e isolou-se no medalheiro individual feminino, com 21 títulos na carreira, e a ginasta de 22 anos tem apenas Vitaly Scherbo na frente na tabela de recordes de masculino ou feminino, com 23.

Dois movimentos inéditos à espera do seu nome

Aos 22 anos Simone Biles, que tem quatro medalhas olímpicas, 14 títulos mundiais e já dois movimentos com seu nome, pode ver ampliado o seu reinado. A ginasta fez dois movimentos inéditos nos mundiais e como na ginástica, qualquer movimento inédito feito em uma competição internacional ganha o nome da responsável pelo sua execução, ela espera agora para saber que nomes a Federal Internacional de Ginástica (FIG) dará aos seus movimentos.

Biles conseguiu pela primeira vez em um mundial de ginástica feminino um giro duplo em um backflip duplo -mais conhecido como um duplo-duplo. Ela fez ainda um triplo-duplo, um giro triplo com um retorno duplo, que já tinha apresentado nos nacionais americanos.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.