Sérgio Conceição e os jogadores castigados: "Não é o momento ideal para falar"

O treinador do FC Porto recusou falar do problema disciplinar de Marchesín, Uribe, Luis Díaz e Saravia, mas avisou que tem um plantel que lhe dá "garantias". Lito Vidigal elogiou a primeira parte do seu Boavista.

Sérgio Conceição, treinado do FC Porto, assumiu ter gostado da reposta da equipa depois de uma semana complicada, que culminou que o castigo de Marchesín, Uribe, Luis Díaz e Saravia, que o obrigaram a fazer várias mudanças no onze para o dérbi com o Boavista.

"Os jogadores trabalharam muito. Este jogo é sempre difícil, o Boavista joga de forma direta e este dérbi é histórico, ainda para mais o Boavista só tinha perdido em Setúbal. Fizemos um bom jogo, controlámos e podíamos ter matado o jogo mais cedo. Estávamos preparados para as saídas rápidas do Boavista e para o jogo direto deles. Anulámos esses dois pontos e fizemos um jogo maduro", assumiu o treinador portista, que recusou falar sobre os jogadores que ficaram de fora por castigo: "Só falo dos jogadores que estiveram aqui hoje. Não é o momento ideal para falar disso."

Sobre as mudanças, Sérgio Conceição garantiu ter "um plantel que dá garantias". "Conto muito com toda a gente e já provei isso. Tenham 17 ou 35 anos, para mim é igual. O que conta é o que fazem no dia-a-dia. Confiança total", sublinhou para deixar uma mensagem: "Nós sabemos o grupo que temos. Não é só um jogo que me vai fazer mudar de ideias sobre um jogador. O Loum deu uma excelente resposta, o Fábio Silva tem 17 anos e bateu-se como um homem, o Diogo Costa mostrou tranquilidade enorme."

Lito Vidigal: "Fizémos uma grande primeira parte"

Lito Vidigal, treinador do Boavista, considerou que, apesar da derrota, a sua equipa fez "uma grande primeira parte". "Dividimos o jogo e o FC Porto teve só uma oportunidade e fez um golaço. O jogo foi incerto até ao fim. Na segunda parte o Porto controlou o jogo e baixou o ritmo. Queríamos pontuar e tentámos até ao fim, mas não é fácil jogar contra uma equipa com esta força", frisou

"Não posso pedir muito mais a estes jogadores. Demos tudo e no campo as diferenças não se notaram. A equipa está a crescer e a mentalidade a mudar. Queremos jogar mais tempo com mais qualidade", disse.

Exclusivos