Sérgio Conceição e a vitória no clássico: "Fomos melhores, foi sem espinhas"

Treinador do FC Porto desvaloriza casos de arbitragem do jogo com o Benfica e quer vencer nesta quarta-feira o Ac. Viseu para marcar presença na final da Taça de Portugal.

O FC Porto joga nesta quarta-feira o acesso à final da Taça de Portugal. O adversário é o Académico de Viseu, da II Liga, que no jogo da primeira mão garantiu um empate a um golo. Apesar de a conferência ser para lançar o jogo da segunda mão da meia-final da Taça, o recente clássico com o Benfica dominou grande parte da conferência, com Sérgio Conceição a considerar que a vitória da sua equipa não pode merecer contestação.

"Em termos de jogo jogado, é unânime que o FC Porto foi mais forte. A equipa que teve mais oportunidades, a que foi mais forte nos duelos fomos nós. Porque o futebol é um jogo feito de duelos constantes e nós fomos mais fortes. Mais intensos e mais fortes estrategicamente. Fomos individualmente e coletivamente melhores, foi sem espinhas", começou por dizer.

Conceição fez ainda questão de assinalar um pormenor no triunfo da sua equipa sobre o Benfica. "Ouvi o treinador Bruno Lage, e bem, dizer muitas vezes que quem quer ganhar ao Benfica tem de correr mais do que o Benfica. E nós corremos mais três quilómetros do que o Benfica. Dou toda a razão ao Bruno Lage, as equipas que correm mais ganham 90 e tal por cento das vezes. E foi assim que nós ganhámos", prosseguiu o técnico portista, sem entrar em grandes considerações sobre o ruído em torno da arbitragem.

"Sobre lances mais ou menos bem apitados, decisões melhores ou piores, isso já é querer tapar o sol com a peneira. Há momentos em que a arbitragem foi a favor do FC Porto, outras do Benfica, mas não foi por isso que ganhámos. Foi por mérito nosso. É uma tremenda injustiça para os meus jogadores dizer-se isso, porque foram fantásticos", considerou.

Sobre o jogo diante do Académico de Viseu, o treinador portista não abriu o jogo sobre a equipa que vai fazer alinhar, assumindo que o objetivo é chegar à final e conquistar a Taça de Portugal. "Quem estiver em condições, a 100%, e se eu achar estrategicamente indicados para este jogo, vão iniciar o jogo. É sempre especial jogar finais. Nós queremos estar mais uma vez na final da Taça de Portugal. Já tive a oportunidade de a jogar em dois clubes diferentes, já a ganhei como jogador. É um jogo fantástico, uma competição muito bonita que fecha a época desportiva de uma forma espetacular. Vamos lutar para isso e para sermos mais felizes do que no último ano", concluiu.

Treinador do Ac. Viseu acredita que é possível

Do lado do Académico de Viseu, o treinador Rui Borges garante que continua a sonhar em chegar ao Jamor, apesar de reconhecer que "a probabilidade é pequena" e pela frente vai ter "uma grande equipa". "É acreditar que é possível, e sermos fiéis ao que somos como equipa, e jogar com muita entrega e muita paixão", declarou.

Quanto ao FC Porto que espera encontrar no Estádio do Dragão, o técnico dos beirões perspetivou um embate com "um FC Porto forte, independentemente de quem jogar", não acreditando que o esforço do adversário no clássico do fim de semana frente ao Benfica possa causar problemas de cansaço nos portistas. "Virão fortes e a quererem resolver o jogo cedo", considerou, dando a receita para contrariar esse ímpeto inicial do FC Porto: "Temos de estar preparados para a intensidade e a qualidade que vão meter no jogo."

Apesar de o Académico de Viseu estar em desvantagem na eliminatória, e de precisar de marcar no Dragão, o técnico academista garantiu que a sua equipa não terá uma postura superdefensiva, ironizando que "o autocarro vai ao Dragão mas fica na garagem".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG