Sérgio Conceição descarta Nakajima mas admite ter Pepe para o jogo com o Sp. Braga

O treinador do FC Porto está à espera que as novas dinâmicas dos bracarenses causem "dificuldades" e elogia a competitividade do campeonato. Rúben Amorim assume o desejo de "dividir o jogo" no Estádio do Dragão.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, revelou esta quinta-feira que "Nakajima está, em princípio, fora do jogo" com o Sp. Braga marcado para esta sexta-feira, às 19.00 horas, no Estádio do Dragão, a contar para a 17.ª jornada da I Liga. No entanto, já em relação a Pepe, admitiu a possibilidade de recuperar a tempo: "Vamos ver, mas são duas situações difíceis."

O técnico portista espera um adversário "dentro daquilo que fez nos últimos dois jogos" e, como tal, espera "um Braga fiel às suas ideias e comportamentos dos últimos dois jogos".

"Não acredito que tenha havido um Braga fantástico com o Belenenses SAD e um mau com o Tondela. Não há muito tempo de trabalho do treinador Rúben Amorim, mas já se percebe bem qual é a sua ideia de jogo. Não aceito que digam que o Braga seja bipolar, pois acho que as equipas adversárias é que foram diferentes e causaram problemas diferentes. A dinâmica do Braga não é difícil descortinar, mas é difícil perceber como joga. Tem dinâmicas muito interessantes e causa muitas dificuldades aos adversários, por isso temos de olhar também para a reação à perda da bola", acrescentou Sérgio Conceição, garantindo estar consciente "do poderio ofensivo" dos bracarenses.

O treinador dos dragões considera que o campeonato "está mais competitivo" e assegura que "é cada vez mais difícil ganhar pontos". E justificou regressando ao passado: "Depois do campeonato que ganhamos com 88 pontos, pensei que, no ano seguinte, 85 bastariam, mas não foi assim. É um dado curioso." E nesse sentido, foi questionado sobre o resultado que deseja no dérbi Sporting-Benfica: "Temos que olhar para o nosso jogo, não adianta olhar para o dérbi que vai acontecer noutra cidade. Não vale de nada olhar para outros jogos se não ganharmos o nosso."

O avançado Soares tem demonstrado pontaria afinada nos últimos jogos e Sérgio Conceição elogia a atitude do brasileiro nesta evolução que tem registado: "Ele teve a particularidade de ser inteligente para perceber que, quando não estava a jogar, tinha de trabalhar no máximo. E, quando chegou a oportunidade, aproveitou-a muito bem. Fez aquilo que sabe: golos. É normal que hajam ciclos de maior ou menor fulgor dos atletas, como acontece com os treinadores. Não atribuo nenhum mérito a mim ou à equipa técnica, mas sim à paciência do Soares, que deu sempre no duro."

Questionado sobre terem sido marcados dois jogos importantes para esta sexta-feira à noite, Sérgio Conceição preferiu jogar à defesa: "Eu tenho uma opinião, por muito fraca que seja. Mas não vale a pena entrar por aí. Foi marcado assim e pronto. O próximo jogo é na quarta-feira. Se ficava satisfeito se esse jogo fosse noutro dia? Claro que sim. Mas não há nada a fazer."

Rúben Amorim: "Não ganhámos a 15 anos? O passado não joga"

Rúben Amorim assumiu esta quinta-feira que o Sporting de Braga tem "qualidade suficiente para dividir o jogo" com o FC Porto, mas para isso defende que a sua equipa "não pode mudar" a sua forma de jogar porque "isso traz problemas". "Temos que estar muito concentrados, porque o Porto é forte em todos os aspetos do jogo, no futebol continuado, nas transições, nas bolas paradas ofensivas e defensivas, mas não nos vamos desviar da nossa ideia, que é de iniciativa, que quer causar perigo e dominar o adversário", disse.

O técnico bracarense deposita total confiança nos seus jogadores porque "já provaram que conseguem surpreender em jogos difíceis". "Acreditamos num bom resultado, pois temos as nossas armas e qualidade suficiente para causar perigo e dividir o jogo com o Porto", assumiu, garantindo preferir "arriscar" do que mudar a forma de jogar: "Se estivermos em modo sobrevivência, a tentar sacar um ponto, não vamos crescer, por isso, eu prefiro arriscar, manter a dinâmica, mas o FC Porto pode não nos deixar, mas isso será o FC Porto a fazer, não o vamos fazer por iniciativa própria", explicou.

Rúben Amorim disse conhecer a "forma do FC Porto jogar, com muitos jogadores na construção, o Nakajima entre linhas, o Marega e o Soares sempre a dar profundidade". "Conseguem ser perigosos em todos os momentos, têm soluções para tudo, sabem que temos uma abordagem diferente e vão tentar tirar partido da nossa construção, mas isso é igual independentemente dos sistemas", assumiu.

O Sp. Braga não vence no Estádio do Dragão há 15 anos, mas Rúben Amorim desvalorizou esse dado: "A equipa do Porto ajudou-me nesse aspeto, porque não ganhava há 12 anos em Alvalade e ganhou agora. O passado não joga, é olhar para o futuro", sublinhou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG