Rúben Amorim: "Um dia é Bruno Lage a ser despedido, outro dia serei eu"

O treinador do Sporting desvalorizou a possibilidade de se aproximar do segundo lugar em caso de vitória frente ao Gil Vicente.

Rúben Amorim, treinador do Sporting, garantiu que a saída de Bruno Lage do comando técnico do Benfica é algo que não o distrai, mas de forma pragmática lembrou que se trata de uma situação a que todos os técnicos estão sujeitos: "Hoje foi ele, outro dia serei eu, é algo normal no futebol."

O Sporting defronta esta quarta-feira (21.15 horas) o Gil Vicente, em Alvalade, e em caso de vitória poderá reduzir para nove pontos o atraso em relação ao Benfica. Ainda assim, o técnico leonino não quer pensar no segundo lugar. "Não pensamos nisso. Continuamos mais próximos do quarto lugar e a nossa ideia não muda. Não interessa muito o que os outros fazem, mais ainda nesta fase em que temos muito para fazer", referiu.

"A nossa motivação é jogo a jogo. Não há motivação maior para estes jovens do que saberem que estão neste momento a batalhar para ter um lugar no onze da próxima época. Se isso não é uma motivação, então é um grande problema. Representar o Sporting é a maior motivação que eles podem ter", frisou, voltando a desvalorizar a possibilidade de encurtar distâncias em relação ao rival.

Tendo em conta a evolução que a equipa tem mostrado, Rúben Amorim foi questionado sobre a possibilidade de o Sporting lutar pelo título na próxima temporada. "Não acredito, nem deixo de acreditar. Importante é pensarmmos no próximo jogo e ter uma equipa com fome para ganhar o duelo frente ao Gil Vicente. Eu não sei quem vai estar melhor preparado ou não na próxima época. Quem diria que o Jovane estaria como está há três jogos, muitos até o colocariam numa lista de dispensáveis", disse ao mesmo tempo que confirmou a ausência do jovem avançado diante dos gilistas, tal como o argentino Marcos Acuña.

Sobre o Gil Vicente, o técnico leonino disse tratar-se de "uma equipa experiente, que está confortável na classificação e tem uma ala direita muito forte". Como tal, prevê "um bom jogo" e espera "que o Sporting vença".

Rúben Amorim não considera haver qualquer segredo no facto de o Sporting ainda não ter perdido desde a retoma da I Liga. "Todas as equipas fazem o seu trabalho. Muitos dirão que é sorte. Eu direi que é um misto de sorte com trabalho e tenho de ressalvar uma palavra de elogio para os meus jogadores que têm trabalhado bastante desde que aqui estou", sublinhou.

Questionado sobre se aceitaria mudar-se para o Benfica no caso de o clube da Luz pagasse a sua cláusula de rescisão, tal como aconteceu na sua mudança de Braga para o Sporting, Rúben Amorim riu-se, mas não respondeu por intervenção do assessor de comunicação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG