Rúben Amorim: "A consolação de uma época não pode ser ganhar a um rival"

O treinador do Sporting quer vencer no Dragão para que possa alcançar os objetivos traçados, que passam pelo terceiro lugar, e não para evitar que o FC Porto seja campeão.

Rúben Amorim, treinador do Sporting, recusou esta terça-feira a ideia de que uma vitória no clássico de amanhã no Estádio do Dragão com o FC Porto será uma forma de salvar a temporada. "De forma alguma. São três pontos. O importante é nós, que ainda lutamos por um objetivo, mantenhamos esse objetivo. No Sporting, a consolação de uma época não pode ser ganhar a um rival", sublinhou.

O técnico leonino assegurou ainda que a sua equipa não vai entrar em campo "para impedir que o FC Porto seja campeão, mas sim para ganhar e atingir os objetivos". "Não é uma consolação, mas queremos vencer, como acontece em todos os jogos. Mas, mais do que vencer, queremos ver o comportamento da equipa e dos nossos jogadores", acrescentou.

Rúben Amorim diz que é "indiferente" se o FC Porto já iniciar o clássico como campeão. "Dá para ver dos dois lados. Pode haver um libertar de pressão, mas os jogadores também poderão ficar mais soltos e querer festejar, digamos assim, em campo. Para mim, seria importante, que o FC Porto não seja campeão hoje e que tenha de empatar ou vencer o Sporting para ser campeão. É isso que eu quero, pois eu foco-me na minha equipa. Pouco me interessa quem vai ser campeão. O Sporting não pode ser, por isso para mim é indiferente. O que eu quero é que, amanhã, estejam todos os fatores no jogo", assumiu.

O técnico leonino destacou que o FC Porto "é uma equipa muito competitiva, com várias soluções". "Pode jogar em 4x4x2, 4x3x3 e está preparada para tudo. Se olharmos para o último jogo tive contra eles, quando estava no Sporting de Braga, e olhar para o FC Porto agora, que está a um ponto do título, revela muito do seu treinador, do clube e do espírito da equipa. Vejo uma equipa que quer ser campeã. E, do outro lado, vai estar uma equipa que quer vencer o jogo, que está numa boa fase e que precisa destes jogos para crescer", disse.

Ainda assim, Amorim recusa a ideia de que este é o primeiro grande teste do seu Sporting desde que assumiu a equipa. "Não vejo as coisas assim, todos os jogos são testes fortes. Este é mais um, frente a uma equipa muito forte. Por exemplo, o Eduardo Quaresma, o Matheus Nunes, que não estão habituados a este tipo de jogos, vão ter dificuldades que não tiveram até aqui, mas o treinador e jogadores do Sporting estão em teste todos os dias", frisou, assumindo que quer os seus jogadores "a enfrentar o FC Porto olhos nos olhos".

Esta época, quando estava no Sp. Braga, Rúben Amorim venceu duas vezes Sérgio Conceição, mas faz questão de negar que tenha qualquer tipo de ascendente tático. "O mister Sérgio Conceição já foi campeão, está a um ponto de ser campeão, tem muitos mais anos que eu. Bateu o recorde de pontos no Olhanense, já esteve na final da Taça de Portugal. Eu não tenho ascendente, pelo contrário. Quem tem mostrado mais provas e mais conteúdo é o mister Sérgio Conceição", disse, acrescentando que nos dois jogos em que se defrontaram "o FC Porto falhou dois penáltis" no jogo para a I Liga e "depois sofreu um golo aos 90'+5" para a Taça da Liga. "São pormenores. O que Sérgio Conceição fez, ou seja, ganhar títulos, é o que eu ambiciono para mim, enquanto treinador, e para o Sporting", frisou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG