Roberto Baggio: "Pedi à minha mãe para me matar"

A antiga estrela italiana revela os momentos dramáticos por que passou devido às lesões que marcaram a sua carreira.

Roberto Baggio, antiga estrela do futebol italiano, lembrou o calvário de lesões que teve na sua carreira no Festival do Desporto, que decorre na cidade de Trento, e teve uma frase forte que marcou a sua intervenção.

"Foi um sonho vestir a camisola do Vicenza. Cheguei à Fiorentina depois de uma lesão grave, não joguei durante dois anos e mesmo no terceiro ainda não estava totalmente recuperado. As lesões foram um pesadelo para mim. No dia seguinte à minha primeira operação ao joelho, pedi à minha mãe para me matar", disse o antigo número 10 da seleção italiana.

Apesar de tudo, Baggio teve uma carreira recheada de títulos, mas não esquece aquele que foi o momento mais difícil de digerir, quando falhou o penálti na final do Mundial 1994, nos Estados Unidos, que acabou por entregar o título ao Brasil. "Nunca tinha rematado por cima da trave num penálti, foi a primeira e única vez. Muitas vezes, antes de adormecer, esse momento ainda me vem à cabeça", revelou.

Roberto Baggio lamenta que não tenha sido convocado para o Campeonato do Mundo de 2002, pois "merecia ter sido chamado". "Penso que o futebol me devia isso essa presença nesse Mundial e isso também contribuiu para decidir abandonar o futebol", acrescentou.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.