Quando um argentino do Braga fez história com o Benfica e Conceição tramou o FC Porto no Berço

O Benfica recebe neste sábado o Sp. Braga, equipa que só venceu fora as águias no campeonato uma única vez. Já o FC Porto desloca-se domingo a Guimarães, que tinha Conceição como treinador no último triunfo em casa contra os dragões.

Benfica e FC Porto estão separados por quatro pontos na classificação e neste fim de semana têm ambos jogos de grau de dificuldade elevado - as águias, que lideram o campeonato, recebem no sábado o Sporting de Braga, e o FC Porto, segundo classificado, desloca-se no domingo a Guimarães. Ou seja, duas equipas minhotas a intrometerem-se indiretamente na luta pelo título.

Mas, afinal, o que diz o historial de confrontos? Serão bracarenses e vitorianos tradicionalmente adversários complicados para Benfica e FC Porto, respetivamente?

Comecemos pelo Benfica-Sp. Braga do próximo sábado. Antes de mais convém lembrar que o clube minhoto está na luta pelo terceiro lugar (apenas a um ponto do Sporting) e há nove jogos sem perder. Aliás, nas últimas nove partidas, campeonato e Taça da Liga incluídos, apenas empatou uma vez. De resto, desde que Rúben Amorim assumiu o comando da equipa que o Sp. Braga não sabe o que é perder e inclusivamente venceu duas vezes o FC Porto e outras duas o Sporting.

Mas tendo como parâmetro de comparação o historial de confrontos entre os dois emblemas, disputados na Luz e em jogos do campeonato, a vantagem do Benfica é demolidora. No total dos 63 jogos realizados, o Benfica venceu 50, empatou 12 e perdeu apenas... um. Nas últimas seis visitas à Luz, os arsenalistas saíram sempre derrotados e na última vez goleados por 6-2 (um dos golos do Sp. Braga foi curiosamente apontado por Dyego Sousa, reforço de inverno do Benfica).

A única vitória do Sp. Braga diante do Benfica aconteceu na longínqua temporada de 1954-1955, curiosamente num jogo do campeonato (oitava jornada) disputado no Estádio Nacional. Os encarnados treinados por Otto Glória perderam por 1-0, golo do argentino Mario Imbelloni, atleta que assumia a dupla função de treinador-jogador, que nessa temporada, com dez golos apontados, ajudou os minhotos a terminarem o campeonato na quinta posição.

O FC Porto já não tem grande margem de manobra e está proibido de perder pontos. Neste domingo desloca-se a Guimarães para defrontar uma equipa que esta temporada tem alternado grandes exibições com outras menos boas. Na última jornada, por exemplo, goleou em Famalicão por 7-0. Mas nos três jogos anteriores foram derrotados, numa ocasião precisamente diante dos dragões, por 2-1, nas meias-finais da Taça da Liga.

O historial de confrontos entre minhotos e dragões é bastante favorável ao FC Porto. Nos 74 jogos relativos apenas ao campeonato e disputados na cidade de Guimarães, os portistas venceram 35, empataram 23 e saíram derrotados em 16. Desde 2000, os vitorianos somaram apenas dois triunfos, o último na temporada 2015-2016, com um triunfo pela margem mínima, com um um golo de Bouba Saré logo aos quatro minutos, após um erro de Iker Casillas. Curiosamente, o treinador do V. Guimarães neste jogo era Sérgio Conceição, que agora está do outro lado. No banco do Dragão estava o interino Rui Barros.

Na última visita ao Afonso Henriques, em fevereiro de 2019, o jogo terminou empatado sem golos e foi marcado pela grande exibição do guarda-redes brasileiro Douglas. A igualdade no final permitiu ao Benfica começar a encurtar distâncias para o rival - na altura ficou apenas a três pontos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG