Quando Pelé era gasolina. A história do primeiro golo do "Rei" do futebol

Reportagem brasileira descobriu a súmula original do primeiro golo daquele que é considerado o melhor futebolista brasileiro de sempre. E que inicialmente tinha sido atribuído a outro jogador do Santos num jogo em 1956.

A lenda de Edson Arantes do Nascimento, Pelé para o futebol, é vasta e tem inúmeros episódios, alguns deles ainda desconhecidos e que só o tempo vai destapando. Um deles foi revelado agora e dá conta do registo do primeiro dos mais de mil golos do "Rei", como é conhecido o ex-jogador brasileiro, campeão do Mundo em 1958, 1962 e 1970 pela 'canarinha'. A bem da verdade ainda hoje há dúvidas sobre quantos golos marcou ao certo o brasileiro. Existem várias contabilidades para justificar os mais de mil golos na carreira de Pelé, em que até jogos treino foram incluídos.

O próprio defende ter apontado 1283 golos, marca que inclusivamente está registada no livro dos recordes do Guinness. E é esse número que parece interessar aos brasileiros. A propósito dos 50 anos do golo mil de Pelé (cumpridos a 19 de novembro de 1969), a ESPN Brasil emitiu uma série de nove reportagens - Memórias do Milésimo - onde se contam histórias à volta dos golos do brasileiro. E um dos episódios foi reservado ao primeiro golo, que teria acontecido há 63 anos num campo de terra, já extinto, na Vila Alzira, na cidade de Santo André. Mas afinal não é bem assim...

Tudo começou em 7 de setembro de 1956 quando o secretário de Cultura e Desporto da cidade de Santo André (São Paulo), Nelson Sacilotto, foi incumbido de realizar um jogo particular entre o Santos (clube de Pelé) e o Corinthians Andreense por ocasião do feriado da Independência do Brasil. Nesse jogo estreou-se Pelé, então um menino de 15 anos, que na altura era chamado de Gasolina pelos veteranos da equipa, Zito e Pepe. Com o Santos a golear por 5-0 ao intervalo, o treinador do Santos resolveu tirar Del Vecchio, o melhor jogador da equipa na altura, para colocar o jovem Gasolina, que tornou a vida dos defesas do Corinthians num inferno de tão veloz e habilidoso que era.

Gasolina marcou mesmo um golo (o jogo terminou 7-1), mas o responsável por anotar os dados do jogo ter-se-á enganado e atribuído o lance a Raimundinho. O erro só foi corrigido 13 anos depois, quando o próprio leu uma entrevista de Pelé, dada a um jornal francês, onde o Rei dizia que o primeiro golo da sua carreira tinha sido numa partida contra o Corinthians de Santo André, em 7 de setembro de 1956. Conta-se agora que, depois de remexer nos arquivos que tinha desse jogo, o responsável percebeu o erro e riscou o nome de Raimundinho na folha, colocando o de Pelé à frente.

A história já havia sido contada, mas faltava a prova. A súmula original apareceu agora, uma semana após a exibição da tal reportagem sobre o primeiro golo do de Pelé, quando a assessoria do prefeito da cidade entrou em contacto com o canal para avisar que as datas não batiam certo e que um morador de Santo André tinha contactado o museu da cidade para doar o tão precioso e histórico documento que contempla o primeiro golo do jogador.

Milton Sacilotto, um médico de 66 anos de idade, decidiu partilhar o pedaço de história do futebol mundial com a população da cidade. Segundo o doador, o pai dele, Nelson Sacilotto, guardou o documento durante muitos anos em casa, depois de o tentar vender e até entregar a Pelé mas sem nunca se conseguir desfazer do papel. Depois da morte do pai, em 1995, ele e os irmãos também tentaram negociar o documento com colecionadores, mas nunca chegaram a um acordo para o vender.

Agora, as autoridades de Santo André anunciaram que pretendem homenagear o antigo internacional brasileiro de 79 anos. A ideia é inaugurar já no próximo ano um busto na praça Tamoio, em frente à sede do Corinthians de Santo André, o marco zero da carreira de goleador de Pelé.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG