Pelé não vê jogadores do Flamengo no nível de "alguns da Europa"

Rei do futebol considera o Flamengo de Jesus uma grande equipa, mas diz que a nível individual estão longe de alguns craques que atuam na Europa e não se comparam a ele, Garrincha ou Sócrates.

O Flamengo tem impressionado toda a gente, Jorge Jesus tem repetido vezes sem conta que a equipa não fica nada a dever aos grandes da Europa - como provou na final do Mundial de Clubes, quando perdeu pela margem mínima com o Liverpool -, mas para Pelé ainda existe uma distância para os grandes emblemas europeus, sobretudo ao nível dos jogadores.

Numa entrevista à CNN Brasil, o rei do futebol elogiou a equipa de Jorge Jesus. Mas considera que na Europa, a nível da qualidade individual dos jogadores, o futebol do velho continente ainda está num patamar acima.

"Sem dúvida nenhuma, o Flamengo é a melhor equipa. Como equipa, como conjunto, é a melhor equipa. Mas, individualmente, se você pegar jogadores do Flamengo e alguns de equipas da Europa, não é mais a fase que o Brasil tinha jogadores como Pelé, Garrincha e até Sócrates. Hoje, individualmente não dá para comparar os jogadores do Flamengo com os de algumas equipas da Europa. Porque no futebol muitas vezes não é o melhor que é campeão, muitas vezes a sortezinha ajuda. E o Flamengo é hoje o representante do Brasil", disse.

Pelé fez ainda uma comparação do futebol dos seus tempos com o atual, concluindo que atualmente é mais complicado, sobretudo devido às marcações que os futebolistas são alvo. "Está mais difícil. Bem mais difícil. Porque no meu tempo, com todo o respeito, acho que tínhamos um pouco mais de liberdade. Agora já não há tanta. Conversava com o Beckenbauer, o Maradona e o Cruyff. Eu dizia-lhes: antigamente jogávamos à bola, agora não querem saber de jogar à bola, só querem destruir. Quem paga para ir ao estádio, paga para ir ao estádio. Não é para ver marcação. A gente dava mais espetáculo e shows do que no futebol atual, mas é uma diferença muito grande", considerou.

Pelé foi ainda questionado sobre quem mais encantou no futebol depois de ter deixado de jogar. E foi categórico na resposta. "O seu Dondinho e a Dona Celeste [pais de Pelé] fecharam a fábrica. Pode vir até melhor, mas Pelé não vem mais. Seria injusto se falasse alguns e esquecesse outros, vi tanta gente boa. Houve jogadores que eu vi e pensei: 'quero aprender a fazer igual'. Eu queria mesmo era ser igual ao meu pai, que é o recordista de golos de cabeça num só jogo: fez cinco num jogo. Esse recorde é do Dondinho e o Pelé ainda não quebrou esse recorde. Em termo de golos, o Pelé quebrou todos os recordes com mais de mil, mas fazer cinco golos de cabeça é do meu pai"

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG