Neto: "Áudios de Bruno Fernandes? Eu diria pior"

Renan deixa elogios ao antigo treinador e a Silas, novo técnico dos verde e brancos. Neto diz que "diria pior" do que Bruno Fernandes se lhe metessem uma escuta em casa

Questionados esta quarta-feira sobre os áudios divulgados de uma conversa privada de Bruno Fernandes, na qual o capitão acusou alguns companheiros de falta de empenho, Renan diz que é preciso "ter cuidado com essas tecnologias" e Neto assume que seria ainda mais incisivo nas críticas. "É algo privado. Qualquer jogador, no final de um jogo, e depois de uma derrota...se me metessem uma escuta em casa eu diria pior. A mim interessa-me aquilo que ele diz no balneário. Tudo o resto, a situação de uma eventual saída, aquilo no balneário no Bessa...prefiro ouvir o que ele diz aqui. A responsabilidade de jogar no Sporting, a exigência para que toda a gente tenha medo de jogar em Alvalade...O resto é privado, nem devia ter vindo a publico", frisou o central internacional português aos jornalistas, antes do treino matinal, em Alcochete.

O antigo defesa do Zenit diz que Bruno Fernandes é muito importante não só dentro de campo como no balneário. "Temos vários jogadores para o ajudar, e isso são variantes que iremos trabalhar. A influência do Bruno não é só dentro de campo, é também fora, e isso também vem da parte técnica, que tem de ser trabalhada pelo mister, para podermos ter diferentes soluções para surpreender e criar dificuldades. Caso contrário pode acontecer o que tem acontecido, que é tentarem bloquear o Bruno ao máximo, e ficarmos limitados", acrescentou.

Renan elogiou o trabalho levado a cabo por Marcel Keizer durante o tempo em que o holandês foi treinador do Sporting. "Keizer foi um bom profissional, a nossa equipa não era mal orientada. Mas não começámos uma época excecional", comentou o guarda-redes brasileiro com os jornalistas.

Sobre a mudança de técnico, Renan frisa o facto de Silas ter deixado de jogar há pouco tempo: "Com o tempo temos vindo a trabalhar, a lutar, a olhar para a frente e é assim que evoluímos. Quando trocamos de treinador há outro pensamento, outra atmosfera. Estamos a ter uma semana cheia de trabalho. Silas parou de jogar há pouco, sabe tudo o que acontece em campo e no balneário e acredito que nos vai ajudar."

O antigo guardião do Estoril apelou à união e garantiu que a equipa trabalha de forma séria. "Todas as famílias passam por momentos difíceis e cabe-nos a nós trabalhar para marcar mais golos e sofrer menos golos. Quanto mais estivermos unidos mais os resultados vêm positivos. Somos uma equipa. Trabalhamos sério, vamos conseguir jogar sério e pôr em prática no campo para conseguirmos os resultados positivos", vincou.

Renan diz que Coates, "que não estava a passar por um momento feliz" depois de dois autogolos e três penáltis cometidos em três jogos, é alguém que ele respeita e admira. "É muito humilde, duro, guerreiro, que merece sempre o melhor", acrescentou.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.