"Não gosto de ser substituído, mas entendo as substituições. Não estava bem"

Cristiano Ronaldo assumiu este domingo, após a vitória no Luxemburgo que deu o apuramento a Portugal no Euro 2020, que não tem estado a 100 por cento

Cristiano Ronaldo assumiu este domingo que tem estado a contas com uma pequena dor que o impede de estar a 100 por cento, mas que se tem sacrificado em prol da Juventus e da seleção nacional, frisando que não gosta de ser substituído, mas que tem entendido as opções do seu treinador no clube, Maurizio Sarri.

"Nas últimas três semanas tenho vindo a jogar limitado. Vocês sabem que não gosto de ser substituído, mas entendo as substituições, porque não estava bem. Não tenho estado a 100 por cento no clube, como não estive na seleção, mas sacrifico-me pelo clube e pela seleção. Como sabem, o Inter está a apertar a Juventus no campeonato e Portugal precisava ganhar estes jogos para estar no Euro, por isso sacrifiquei-me", disse o capitão da seleção nacional aos jornalistas, na zona mista, após a vitória por 2-0 de Portugal no Luxemburgo, que deu o apuramento para o Euro 2020 à equipa das quinas.

CR7 vincou que Portugal vai ao Europeu "para ganhar", mostrou-se satisfeito pela qualificação, mas apontou baterias aos oito meses que faltam jogar até à fase final do Campeonato da Europa. "O objetivo era qualificar-nos para o Europeu e conseguimos. Agora há uma temporada muito longa para se jogar e há jogadores que vão evoluir nestes oito meses", salientou, com críticas para com o relvado que recebeu o jogo entre o Luxemburgo e a seleção nacional: "É difícil jogar nestes campos. É um campo de batalha. Não sei como é possível jogar-se num campo destes. Mas ganhámos 2-0 e ganhar era a nossa prioridade."

Cristiano Ronaldo, refira-se chegou este domingo ao golo 99 ao serviço da seleção nacional. Ficou a apenas um dos 100 e está cada vez mais perto de igualar o recorde de Ali Daei, o iraniano que tem na sua posse a marca histórica de 109 golos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG