Messi revela sonhos não concretizados e destaca o outro Ronaldo

A estrela argentina assume em entrevista que o avançado brasileiro, conhecido como Fenómeno, foi o melhor que viu jogar. Lamenta não ter sido campeão mundial pela Argentina e fala do regresso impossível ao Newell's Old Boys, clube onde tudo começou.

Lionel Messi deu uma entrevista à estação de televisão argentina TyC Sports na qual revela que o melhor jogador que viu foi... Ronaldo, o brasileiro. "Ele foi um fenómeno, impressionante em qualquer aspeto", destacou a estrela do Barcelona.

Nesta entrevista, a estrela argentina admite que "adoraria ter sido campeão do mundo" pela sua seleção. "Chegámos às finais do Mundial e da Copa América, mas nem tudo se resume a ganhar. Deixámos o povo muito feliz nas eliminatórias e estivemos a um curto passo de o conseguir. Agora teremos mais uma oportunidade, continuamos a ser uma seleção forte, apesar das muitas mudanças, da entrada de muitos jovens. Já se vê uma seleção melhor", assumiu.

Messi considera que o Mundial 2014, realizado no Brasil, foi uma das melhores prestações da seleção argentina. "Quando se ganha, tudo é diferente, era um grupo espetacular e tínhamos Alejandro Sabella [treinador], que era impressionante. Ser campeão do mundo era um dos meus maiores sonhos, mas não mudaria nada na minha vida. Foi isto que Deus me deu. Não me posso queixar do que tenho no futebol e na vida pessoal. Vivi um milhão de coisas e não lhes dei valor e não desfrutei delas como deveria ter desfrutado porque isto não para. Há pouco tempo, com jogos a cada três dias", adiantou o número 10 do Barcelona.

A possibilidade de regressar à Argentina é um sonho que Messi tem, mas cada vez mais difícil de ser concretizado. "Tenho o sonho de poder jogar no Newell's Old Boys e no futebol argentino, mas não sei se realmente vai acontecer porque tenho uma família que está à frente dos meus desejos. Sonho com isso desde pequeno, mas tenho uma família, três filhos, e vivo num lugar que me dá tudo e onde estou tranquilo e posso dar um futuro espetacular aos meus filhos", assumiu, admitindo que ainda tentará "convencer" a família, embora seja complicado. "Tenho de convencer também os meus filhos. O Tiago já é grande, tem os seus amigos e, quando o levo para algum lugar, ele não gosta. Quando estamos um mês na Argentina, só pensa em voltar para junto dos seus amigos. Como tal, é cada vez mais difícil."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG