Martins Soares vai pela terceira vez a votos contra Pinto da Costa

Médico anunciou nesta segunda-feira que também é candidato à presidência do FC Porto nas eleições de 18 de abril. É o segundo a aparecer no espaço de 24 horas.

Martins Soares anunciou nesta segunda-feira, em declarações à TSF, que também vai avançar com uma candidatura à presidência do FC Porto, nas eleições agendadas para o dia 18 de abril. No espaço de 24 horas. é o segundo sócio a anunciar a candidatura, depois de José Fernando Rio.

No caso de Martins Soares há uma particularidade, pois será a terceira vez que o médico irá a votos contra Pinto da Costa, ele que até hoje foi o único que enfrentou batalhas eleitorais em 38 anos da era Pinto da Costa.

"Vai ser a terceira vez, já fui à primeira no auge do Futebol Clube do Porto. Nessa altura, a minha candidatura foi positiva, uma vez que mudou a estrutura do clube. Na segunda tentativa, o FC Porto continuava no auge e a estrutura voltou a mudar. Neste momento, não sou um grande acionista, porque, infelizmente, não vale a pena. Mas tenho a dignidade de ter ações para poder estar em reuniões da SAD. Enquanto que, por exemplo, Adelino Caldeira, não têm uma única ação da SAD e é vice-presidente do organismo", referiu à TSF.

"Pinto da Costa começa a deixar de ser intocável. Foi um grande presidente, mas neste momento, deveria sair em grande. Não devia sair empurrado, porque vai levar o FC Porto para uma situação idêntica à do Sporting, com muitos candidatos", acrescentou.

O médico portuense participou nos atos eleitorais de 1988 e 1991 e saiu sempre derrotado. Na primeira vez contabilizou 535 votos contra os 10196 de Pinto da Costa. Na segunda, com uma candidatura cujo lema era "Pela decência", saiu-se melhor e obteve 20,14% dos votos.

Martins Soares remeteu-se durante muitos anos ao silêncio. As poucas exceções foram algumas entrevistas dadas em 2016, na altura em que escreveu o livro "Pelo FC Porto. História das minhas candidaturas". Por essa altura, ao DN, contou o que o levou a enfrentar Pinto da Costa pela primeira vez, "incentivado" por um grupo de adeptos após a final da Taça das Taças perdida em Basileia, em 1984.

Mas a decisão final só aconteceu depois de uma entrevista de Pinto da Costa ao jornal Semanário, ao jornalista Miguel Sousa Tavares, na qual o presidente portista manifestava a vontade de sair. "Eu quero sair. Preciso de sair... tenho o direito de sair! Já cumpri o meu dever... ninguém pode dizer que não cumpri", desabafou então o líder dos dragões, admitindo, contudo, e era esta a frase do título da entrevista, que tinha medo de não conseguir sair.

No domingo à noite, no programa Trio de Ataque, da RTP3, o jurista e comentador José Fernando Rio tinha anunciado a candidatura à presidência do FC Porto. "Candidato-me porque o FC Porto precisa de uma mudança na liderança, o que é óbvio para toda a gente, de virar a página e de se modernizar, de alguém que o saiba liderar com contas saudáveis para o futuro", disse José Fernando Rio.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG