Luis Enrique explica regresso à seleção e acusa Roberto Moreno de ser desleal

Selecionador explicou regresso após ausência por morte da filha e contou toda a história em torno da polémica com o seu adjunto que queria ficar no cargo de treinador principal

Luis Enrique foi nesta quarta-feira apresentado como selecionador espanhol, numa conferência de imprensa onde deu a sua opinião sobre os últimos acontecimentos que levaram ao afastamento de Roberto Moreno, adjunto que pegou na seleção espanhola durante a fase de qualificação para o Euro 2020, devido ao afastamento de Luis Enrique por força da morte de uma filha.

Moreno, entretanto, deixou o cargo por se sentir traído pela federação espanhola, pois achava que tinha o direito de se manter no cargo pois foi com ele que a seleção espanhola se apurou para o Euro 2020. As coisas azedaram e Moreno e Luis Enrique cortaram mesmo relações. Esta quarta-feira, no dia em que foi apresentado, Luis Enrique deu a sua versão dos factos e acusou o seu ex-adjunto de deslealdade. Aqui ficam as explicações do selecionador espanhol.

"É um dia muito especial para mim e para a minha família, porque estou de regresso a casa e à seleção para terminar um projeto que iniciei. Sei que as atenções mediáticas podem estar viradas para o que aconteceu nos últimos meses e vejo-me obrigado a dar mais explicações do que gostaria. Sou uma pessoa que foge das polémicas, todos os que me conhecem sabem disso, mas sou obrigado a dar explicações porque estamos a falar de alguém que trabalhou vários anos comigo."

"O único responsável para o facto de o Roberto Moreno não estar na minha equipa técnica sou eu. A polémica com Moreno vem desde o dia 12 de setembro. Foi o último contacto que tive com ele. Ele ligou-me, tivemos uma reunião na minha casa onde percebi que ele queria estar no Euro 2020 [como selecionador principal], e que se depois eu quisesse voltaria a ser o meu número 2. Entendo que haja ilusão, que era a oportunidade da sua vida, trabalhou muito e é uma pessoa ambiciosa, mas para mim ele foi desleal comigo. Eu não o faria e não quero ninguém com estas características na minha equipa técnica. A ambição desmedida não é uma virtude, é um defeito."

"Disse-lhe logo nessa reunião que não o queria na minha equipa técnica. Quando terminámos esta reunião chamei os outros elementos do meu staff para lhe dar a minha opinião sobre o sucedido. Toda a gente sabe o problema porque passei, mas em nenhum momento fui eu que contactei a federação para voltar. Eles é que me contactaram em outubro. Tivemos uma conversa agradável onde lhes comecei por comunicar que eles não tinham compromisso nenhum comigo. Mas mostraram interesse no meu regresso e eu falei da minha vontade. O resto vocês já sabem. Só posso dizer que estou motivado e com ganas de que chegue o Europeu e o Mundial. Quero falar com os jogadores."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG