"Luis Enrique disse coisas sobre mim que não sou e que não mereci ouvir"

Robert Moreno explicou a sua versão sobre o seu afastamento do cargo de selecionador espanhol. Disse não saber as razões por que Luís Enrique não o quer na equipa técnica, garantiu que sempre foi leal e deixou um aviso: "Se eu não tivesse continuado no cargo, ele não seria agora o selecionador."

Robert Moreno deu esta quinta-feira a sua versão dos factos que conduziram ao seu afastamento do cargo de selecionador nacional, para que pudesse regressar Luís Enrique. Numa conferência de imprensa sem direito a perguntas, o técnico espanhol revelou que foi Enrique que lhe comunicou que não o queria na equipa técnica, apontando-lhe o dedo pela forma como azedou a conversa que ambos tiveram: "Disse coisas sobre mim que não sou e que não mereci ouvir."

Moreno começou por "agradecer pelos nove anos" em que trabalhou com Luís Enrique, "aos jogadores" que lhe "agradeceram em privado", bem como às pessoas que o têm apoiado e "sabem o mal" por que está a passar.

Depois de historiar todo o percurso como adjunto de Luís Enrique. "Até que a19 de junho, após a renúncia irrevogável de Luis Enrique, Luis Rubiales [presidente da Federação Espanhola] disse a mim e à minha equipa que eu seria o treinador. Eu não aceitei até ter a concordância de Luis Enrique", revelou.

"Tive de dar o passo em frente e de certeza que, se eu não tivesse aceitado, ele não seria o treinador. Num primeiro encontro com o Luis Enrique, ele disse-me que tinha feito o que tinha defazer e que se sentia orgulhoso de mim. Mais tarde pedi uma nova reunião para lhe dar um abraço e transmitir-lhe o meu apoio. Nesse momento, pareceu-me apropriado dizer-lhe se ele quisesse voltar daria um passo ao lado para ele entrar, foi então que me disse que não contava comigo. Fiquei em estado de choque", revelou Robert Moreno.

O agora ex-selecionador espanhol explicou que avisou depois a restante equipa técnica do que se estava a passar e não parou de pensar na situação que foi criada. "Perguntava-me o que havia feito de errado para deixar de contar para ele."

Mais tarde, Robert Moreno ficou a saber que Luis Enrique queria voltar à seleção espanhola. "Intuí isso depois das perguntas na conferência de imprensa em Cádiz [antes do jogo com Malta a 15 de novembro], mas ainda assim preparei o jogo com a inha equipa técnica. no momento em que intui que ele queria voltar, demonstrei de novo a minha lealdade e enviei-lhe uma mensagem em que, sabendo que a minha permanência não era agradável para o seu regresso, para nos sentarmos. Só que até ao dia de hoje não sei o que fiz de mal para que Luis Enrique não quer que esteja com ele", revelou.

"Acho que ele me rotulou com coisas que são feias, mas que eu não sou", disse, em resposta às acusações de deslealdade formuladas po Luís Enrique. "Sou o primeiro a ficar feliz por Luis Enrique querer treinar novamente", acrescentou, sublinhando que quer agora "dar continuidade" à sua carreira de treinador principal. "Tenho muita vontade de treinar uma equipa porque é essa a minha paixão", finalizou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG