LeBron pôs de lado o papel e falou com o coração. A homenagem a Kobe Bryant

Estrela dos Lakers tinha um discurso preparado, mas preferiu improvisar em mais uma homenagem a Kobe Bryant: "Nunca te esqueceremos, até sempre irmão."

O primeiro jogo dos Lakers depois da morte de Kobe Bryant, na madrugada deste sábado (derrota por 127-119 com os Blazers), começou com uma homenagem ao ex-basquetebolista, um dos maiores nomes da NBA, que morreu na sequência de uma queda de helicóptero, que vitimou também a sua filha e outras sete pessoas.

LeBron James, estrela maior dos LA Lakers e grande amigo de Kobe, pegou no microfone antes do jogo e revelou que tinha um discurso preparado. Mas na altura decidiu deixar o papel de parte e improvisar e dizer o que sentia naquele momento. Um momento arrepiante que deixou todos emocionados.

"Tenho algo escrito para ler, mas vou falar do coração. A primeira coisa que me vem à cabeça é a minha família, a família em geral porque olho à volta deste pavilhão, estamos todos tristes e a primeira coisa que devemos fazer quando acontece algo assim é ir para o ombro de algum familiar [...] teremos um dia de fazer o funeral do Kobe mas agora é um momento de celebração. De celebrar os seus 20 anos de carreira, o seu sangue e suor, a exigência do corpo ao máximo, a sua determinação para ser o melhor que podia ser. Celebramos o menino que chegou aqui com 18 anos, que se retirou com 38 e que se converteu provavelmente no melhor pai que vimos nestes seus últimos três anos. Esta noite é uma noite de celebração. Nunca te esqueceremos, até sempre irmão", disse.

Kobe Bryant, 41 anos, considerado um dos maiores jogadores de sempre da Liga Norte-Americana de Basquetebol (NBA), morreu no domingo passado na sequência de um acidente de helicóptero em Calabasas, na Califórnia (Estados Unidos).

O basquetebolista, conhecido como o 'Black Mamba' (cobra mamba negra), chegou à NBA aos 17 anos e atuou ao longo de 20 anos nos Los Angeles Lakers, tendo sido cinco vezes campeão norte-americano e duas vezes campeão olímpico (Pequim2008 e Londres2012). É um dos únicos sete atletas que ultrapassaram a marca dos 30.000 pontos na carreia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG