Lage: "Seferovic é um trabalhador nato, gostamos muito dele"

Treinador do Benfica garante que o avançado suíço é opção para o jogo desta sexta-feira com o Boavista. Sobre o fraco rendimento dos futebolistas menos utilizados no jogo da Taça da Liga, recusa tratá-los como jogadores de segunda linha.

Haris Seferovic é opção para o jogo desta sexta-feira no Bessa, confirmou o treinador Bruno Lage, que se desfez em elogios ao avançado suíço do Benfica, que devido a lesão esteve nas últimas semanas afastado da competição.

"Está motivado. Seferovic é um trabalhador nato, gostamos muito dele. Oferece muito à equipa, traz alegria, dinâmica e uma vontade enorme de ajudar no processo ofensivo, de querer marcar muitos golos, como no ano passado", referiu Bruno Lage, garantindo que o jogador "está pronto para avançar".

O Benfica joga nesta sexta-feira no Bessa, frente ao Boavista, depois de um tropeção a meio da semana, com um empate a um golo diante do Sp. Covilhã, num jogo da Taça da Liga onde o treinador utilizou jogadores menos rodados. Lage, contudo, rejeita que no Benfica existam segundas linhas.

"Na Taça da Liga foi sempre nossa objetivo lançar jogadores menos utilizados. Não são segundas linhas, até porque há jogadores que não têm jogado regularmente e assim têm esse espaço competitivo para jogar. Temos 26 jogadores e temos de dar oportunidade a todos e essa competição serve para isso, mas isso não nos tira a obrigação de termos de ter vencido esse jogo. O nosso objetivo e intenção é criar um plantel curto e competitivo, que nos dê oportunidade de ser fortes em todas as competições. Temos de olhar sempre para o mercado, mas primeiro temos de olhar para os 26 jogadores de campo que temos no plantel", indicou.

O Boavista só perdeu esta época uma uma vez em casa. Para Bruno Lage trata-se de uma equipa que "defensivamente é uma forte, aguerrida, e determinada", que "faz uma forte pressão sobre a equipa adversária e aproveita bem os momentos de transição". "Agora é perceber bem aquilo que é o adversário. Escolher o melhor onze é muito importante e é termos a capacidade de os vencer nos duelos individuais", apontou, desvalorizando algumas baixas da equipa de Lito Vidigal para o jogo desta sexta-feira, e comparando até com o Benfica.

"O plantel do Boavista é muito equilibrado, claro que quando se perde alguém que joga mais vezes pode ser prejudicial, mas assim surgem as oportunidades e a vida é feita de oportunidades. Nós não atiramos ninguém para a fogueira, nós damos oportunidade a toda a gente para se mostrar, ao treinador, aos adeptos, para mostrarem que estão disponíveis. Querem melhor oportunidade como aquela que foi dada ao Taarabt, em que estamos empatados com o Tondela e tem 20 minutos para mostrar que agora conta? Eu estive 20 anos a preparar-me para a oportunidade e foi uma oportunidade difícil. E fiz-me pela vida para agarrar a oportunidade. A oportunidade agora é minha e não posso deixar fugir", referiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG