Klinsmann deixou caducar a licença de treinador e arrisca falhar jogo com Bayern

A federação alemã já avisou o técnico do Hertha que terá de apresentar a documentação para se sentar no banco no domingo. O problema é o que o antigo avançado deixou a documentação, ainda que caducada, na sua casa da Califórnia.

Jürgen Klinsmann assumiu o cargo de treinador do Hertha Berlim no final de novembro, orientou cinco jogos antes da paragem de inverno e agora está a contas com a federação alemã, que exige ao antigo avançado que apresente a sua licença de treinador para que possa sentar-se no banco de suplentes no jogo do próximo domingo, na receção ao Bayern Munique, no regresso da Bundesliga.

Pois bem, de acordo com o jornal Bild, o técnico alemão de 55 anos, deixou caducar a licença e, pior do que isso, segundo o próprio Klinsmann deixou esses documentos na sua casa na Califórnia, nos Estados Unidos, onde não vive agora ninguém da sua família, uma vez que em novembro regressaram à Alemanha.

"Quando entrei no avião para Berlim no final de novembro, não pensei que iria precisar a minha licença de treinador e da acreditação de formação adicional, porque não pensava que iria a ser treinador do Hertha", disse o técnico alemão.

O problema é que, segundo o Bild, o Hertha recebeu esta terça-feira a notificação da federação alemã, avisando para o problema e para o facto de Klinsmann correr o risco de não se poder sentar no banco de suplentes do Estádio Olímpico de Berlim no jogo com o Bayern Munique se entretanto não resolver a situação.

Em comunicado a federação assumiu confiar numa "solução rápida" para este problema e até propôs a Klinsmann que participasse num congresso de treinadores de elite, que lhe permitiria readquirir as condições necessárias para renovar a sua licença.

Para treinar na Alemanha é preciso ter uma licença concedida pela federação alemã ou uma equivalente de outro país que seja considerada válida. Jürgen Klinsmann tem essa licença há mais de 20 anos, mas agora tem de renová-la e para isso tem de participar a cada três anos em 20 horas de formação adicional.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG