Jorge Jesus: "Quem era o grande ídolo em 81? Zico. Teve de chegar mais um portuga"

Treinador português puxou dos galões após vencer o Ceará no jogo da consagração como campeão brasileiro e reclama que a sua equipa "já está na história do Flamengo"

Nas nuvens após a festa da consagração como campeão brasileiro na madrugada desta quinta-feira, depois de triunfo por 4-1 sobre o Ceará no Maracanã, Jorge Jesus puxou dos galões e reclamou que a sua equipa, que no sábado venceu a Taça Libertadores, já está na história do Flamengo.

"Esta equipa já está na história do Flamengo. O 81 [ano da conquista da primeira Libertadores do clube] vai deixar de ser cantado, com todo respeito aos que fizeram história. Tinha que ter alguém para dar continuidade. Quem era o grande ídolo em 81? Zico. Qual é ascendência dele? Teve que chegar mais um portuga", afirmou, muito bem-disposto.

O treinador amadorense de 65 anos confessou ter uma relação especial com os jogadores que orienta. "Nunca tive uma relação tão forte como tenho com a equipa do Flamengo. Sou treinador há 38 anos e encontrei um grupo que me ama. Nunca tive um grupo tão forte e confiante no treinador e nas minhas ideias", revelou.

Sobre o Mundial de Clubes que se avizinha, Jorge Jesus baixou as expetativas dos adeptos e da imprensa brasileira. "Não chegar à final do Mundial não seria uma deceção. Deceção seria se não chegássemos. Vamos jogar com o campeão da Champions (da Ásia). Desculpa, mas você estar enganado em falar em deceção. Fala isso porque não conhece o Al-Hilal, que vai ganhar ao Espérance. Dos três objetivos que o Flamengo teve, o Mundial é o mais difícil. Qualquer adversário na final será do nível ou melhor do que o Flamengo. Nada vai desviar-me do meu pensamento e da minha paixão até meu último dia no Flamengo. Depois vou pensar o que fazer da vida", disse aos jornalistas.

Ainda sobre o futuro, remeteu uma decisão para depois do Mundial de clubes. "Não sei o que será do meu futuro depois do Flamengo. Sei que tenho contrato até maio. Depois tudo pode acontecer. O meu foco é o Flamengo. Não há possibilidade de falarem comigo sobre outro assunto. Dizem que muitos clubes conversaram comigo. Até o Mundial não há nada, não falo com ninguém, nem com o Flamengo", vincou, mostrando-se focado no emblema carioca: "Vivo o ano mais lindo da minha carreira como treinador e quero desfrutar ao máximo."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG