Jesus: "Pelo coração tinha de ficar no Flamengo. Mas há outros fatores"

O treinador português tornou-se nesta segunda-feira cidadão honorário do Rio de Janeiro e foi alvo de uma homenagem emotiva na câmara da cidade, com todos a pedirem-lhe para ficar no Flamengo.

Jorge Jesus foi nesta segunda-feira condecorado com o título de cidadão honorário da cidade brasileira do Rio de Janeiro, numa cerimónia realizada na Câmara Municipal da cidade. Esta distinção já estava agendada antes dos dois títulos ganhos pelo Flamengo no espaço de 24 horas, a Taça Libertadores (sábado) e o campeonato brasileiro (domingo). A iniciativa partiu do ex-atleta do clube e atual vereador daquela cidade brasileira, Felipe Michel, que durante o seu discurso deixou um pedido: "Mister, querido carioca, não deixe a gente não. Este povo precisa ainda muito do senhor. Você tem ainda muito para nos ensinar."

Na conferência de imprensa que se seguiu à cerimónia, Jorge Jesus foi questionado sobre o seu futuro. Se fica ou sai do Flamengo no final do ano. Mas o treinador português manteve o tabu. "Pelo coração tinha de ficar no Flamengo. Toda a emoção e paixão conquistaram-me. Mas há outros fatores importantes na vida de um treinador. Nunca olhei para a minha carreira na componente económica. Quando optei pelo Flamengo, posso dizer que se tivesse ligado à vertente financeira não tinha vindo. No futuro se calhar será um componente que eu vou valorizar. Vamos passo a passo. E na altura em que tivermos de decidir, vamos decidir o que será melhor para mim e para o Flamengo. Decisões profissionais não são afetivas [...] o futuro é muito ingrato e cruel no futebol. O que sei hoje é que vou continuar a trabalhar no Flamengo para conquistar mais um grande objetivo para o clube [o Mundial de Clubes] e para o povo brasileiro", referiu.

Jesus lembrou que quando assinou pelo Flamengo tinha três grandes objetivos: a Libertadores e o campeonato brasileiro já estão garantidos, segue-se o Mundial de Clubes, que se realiza em dezembro, no Qatar: "Foi o casamento perfeito, o meu com o clube, com a torcida e com a cidade. Sei que sou ídolo de muitas crianças aqui e em Portugal e só tenho a agradecer.Este título que vamos disputar [Mundial de Clubes] é muito importante para o Brasil. Sempre pensei em cumprir estes três objetivos. Já ganhamos estes dois títulos, agora temos mais um para ganhar fora do Brasil e penso que temos valor para no dia 22 estar nessa final no Qatar."

O treinador português deixou ainda uma palavra de agradecimento à homenagem de que foi alvo, ao tornar-se cidadão honorário do Rio de Janeiro: "Já ganhei coisas importantes, mas nunca tinha sido homenageado como fui no Brasil. Vai ser lançado um livro no Brasil em meu nome e uma percentagem vou doá-la a uma instituição do Rio de Janeiro", anunciou.

Antes, na cerimónia Jorge Jesus discursou emocionado e lembrou a grande ligação que une o Brasil a Portugal. "No meu sangue corre muito do que que é Portugal e Brasil, até porque tive uma avó brasileira. Estou emocionado porque há uma ligação estreita entre os dois países. Cada 10 pessoas com quem falo têm raízes portugueses. O meu país está orgulhoso de mim de certeza. Muito obrigado", referiu.

"Como português, e hoje como cidadão carioca, posso dizer que antes de ser já era cidadão brasileiro. Portugal está ligado ao Brasil desde 1500. Os meus professores ensinaram-me que o Brasil era um país irmão, foi assim que eu fui educado. Hoje ao ser homenageado sinto um grande orgulho, isto tem um grande significado, e se estou aqui devo-o a dois coisas: primeiro ao futebol, segundo à oportunidade que o Flamengo me deu de treinar melhor clube do Mundo" acrescentou o treinador português.

Sempre muito emocionado, Jesus prosseguiu o seu discurso sempre tendo presente as relações entre Portugal e Brasil: "O futebol faz parte da cultura do povo e o futebol no Brasil é cultura. E nós em Portugal fomos habituados há 40 anos, com as novelas, começámos a conhecer a cultura brasileiro, músicos, e hoje em dia já se encontra o contrário, já há atores portugueses a fazeram telenovelas no Brasil."

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, falou antes do treinador português. Enalteceu as qualidades do técnico que levou o Flamengo à conquista da Taça Libertadores e do campeonato brasileiro, e disse esperar que Jorge Jesus se mantenha no comando da equipa.

"Jesus está a fazer um trabalho maravilhoso no Flamengo. Esta é uma homenagem mais do que justa, não só pelos resultados, mas também características pessoais que tornam Jorge Jesus diferente. Além do profundo conhecimento da profissão dele, o mais importante é a atitude, a intensidade com que ele se entrega à profissão, assim como a sua determinação e vitalidade. Em qualquer momento ele está a trabalhar e a estudar, vai ao nível do mínimo dos detalhes. E depois é também o foco que ele coloca em tudo. São características de um líder que não se encontra facilmente. Misturar facilidade de liderança com conhecimento tornou-o tão importante", referiu

"É uma felicidade contar com você aqui no Rio de Janeiro e ter aceitado este desafio de sair do conforto de Portugal e chegar para conseguir resgatar o orgulho de uma verdadeira nação. Esta homenagem é pouco pelo carinho e pela admiração que temos por Jorge Jesus. Estamos felizes por contar com você. Agora esperamos que permaneça connosco por muito tempo. É o meu desejo e de todos os cariocas. O que estão fazendo aqui é muito pouco para pagar o carinho e admiração que temos por você", acrescentou o líder do Flamengo.

Antes falaram vários vereadores, deputados federais e até o governador do Rio de Janeiro, todos com palavras sentidas de agradecimento ao trabalho feito por Jorge Jesus.

"Você já é de coração, agora é oficialmente reconhecido como carioca. As homenagens devem ser feitas em vida e de corpo presente. Ser carioca é algo diferente", disse Jorge Felippe, presidente da Câmara dos Vereadores, que discursou durante quase meia hora.

"Se os portugueses descobriram o Brasil, o mister redescobriu o futebol. Se Deus é brasileiro, certamente Jesus é carioca", referiu por sua vez a vereadora Tânia Bastos.

"Você está a começar uma nova história no Flamengo. Esperamos contar consigo por muitos mais anos. Queremos que bata recordes no Flamengo, como fez no Benfica. Agora vamos ver se o levamos ao Sambódromo", pediu o governador Wilson Witzel.

Também Flávio Bolsonaro, filho do presidente brasileiro, saudou Jesus na qualidade de senador, através de uma mensagem gravada em vídeo. Foi também em vídeo que Jesus assistiu a mensagens de Gabriel o Pensador e do jogador de futebol praia português Madjer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG