Já se sabe o resultado da autópsia a Maradona

Foram conhecidos os dados preliminares sobre a causa da morte de Diego Armando Maradona.

Já se tornaram conhecidos os dados preliminares da autópsia ao corpo de Diego Armando Maradona, que morreu na quarta-feira, na sua casa na Argentina. Os peritos forenses elaboraram um relatório com os dados preliminares sobre a causa de morte de um dos maiores futebolistas do mundo.

No documento a que o jornal Olé teve acesso pode ler-se "insuficiência cardíaca aguda, num paciente com cardiomiopatia dilatada, insuficiência cardíaca congestiva crónica que gerou edema agudo de pulmão".

O mês de novembro foi difícil para Maradona. Foi internado numa clínica privada de La Plata e depois transferido para a Clínica Olivos, em Buenos Aires, para ser retirado um coágulo que se tinha formado no cérebro.

A cirurgia acabou por correr bem, embora os médicos já esperassem uma difícil recuperação.

Segundo o jornal argentino Olé na manhã desta quarta-feira (25 de novembro) Maradona levantou-se bem e deu uma caminhada, como fazia habitualmente. Depois voltou a deitar-se. De acordo com o diário toda esta rotina foi acompanhada por uma psicólogo, uma psiquiatra e pela enfermeira que seguia a sua recuperação.

Ao meio-dia (hora da Argentina, 15.00 em Portugal Continental) quando o foram acordar para lhe dar a medicação, Maradona já não respondeu. Na sequência do alerta foram enviadas para a casa do antigo futebolista quatro ambulâncias, apesar da rapidez do socorro era demasiado tarde. Já estava morto, conta o Olé.

De acordo com o Clarín a família e as pessoas mais próximas achavam que Maradona andava muito ansioso e nervoso e por isso foi colocada de parte a ideia de o ex-jogador fazer a sua reabilitação em Cuba onde há uns anos fez um tratamento devido à sua dependência da droga.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG