Simone Biles. A pressão de ser a melhor do mundo e os abusos sexuais levaram-na a fazer terapia

Ginasta americana confessou numa entrevista que a revelação pública dos abusos sexuais sofridos a atormentam diariamente. Este domingo participa da etapa de Estugarda da Copa do Mundo

Simone Biles é o nome maior da ginástica mundial e aos 22 anos é já considerada uma das maiores ginastas de todos os tempos. Dona de três ouros olímpicos e quatro vezes campeã mundial, a americana que voltou a treinar e competir no ano passado, depois de um ano sabático após as revelações de abuso sexual do ex-médico da equipa americano, Larry Nassar, confessou que faz terapia, porque muitas vezes não quer nem pisar no ginásio quanto mais treinar.

"Eu vou à terapia para encontrar ajuda em relação a isso. Já houve dias em que nem queria pisar o ginásio. Vou deixar que isso me tire a minha paixão e os objetivos que tenho? É só mais um obstáculo a ser superado", disse Biles, em entrevista ao The Guardian.

A americana já passou por alguns obstáculos na vida e na carreira. Biles foi adotada pelos avós em 2003, depois de passar frio e fome com a mãe biológica, toxicodependente. Foi para a ginástica aos seis anos e cedo chegou à seleção onde foi treinada por Márta Károlyi, conhecida pela "cultura do medo e do silêncio", por não deixar as atletas sorrirem. Mas Biles tinha melhor performance quando se divertia e, depois de alguma resistência, Károlyi lá deixou a americana expressar suas emoções e o sucesso foi imediato. Para já tem três ouros olímpicos e quatro títulos mundiais.

No início do ano passado, Biles revelou ter sido uma das vítimas do escândalo de abuso sexual do ex-médico da equipa de ginástica americana, Larry Nassar - condenado a mais de 175 anos por abusar sexualmente de mais de 140 atletas. "Ensinam as meninas a cobrir o corpo, em vez de ensinar os meninos a não tocar nelas? Nunca é culpa da mulher e isso foi o que mais demorei a entender. Não foi minha culpa", confessou a ginasta ao The Guardian.

O trauma levou-a a retirar-se das competições durante um ano. Durante o ano sabático participou no programa de TV "Dancing With The Stars", uma espécie de Dança dos Famosos americano, viajou muito, colaborou num livro, comprou uma casa perto de seus pais em Houston e preparou o regresso à ginástica. O que aconteceu no Mundial de 2018 em Doha, onde venceu mais um campeonato mundial e se tornou a primeira tetracampeã mundial de ginástica. "Mesmo quando ganho, às vezes fico chateada. Como no Mundial do ano passado. Caí duas vezes. Ainda assim, venci. Mas não foi meu melhor desempenho", explicou Simone Biles.