Liverpool volta às vitórias e Arsenal fica à mercê do Man. United

Uma grande penalidade convertida com sucesso pelo egípcio Mohamed Salah deu os três pontos ao Liverpool na deslocação deste sábado ao terreno do Brigthon, permitindo à formação de Jurgen Klopp consolidar a liderança da liga inglesa.

Num jogo bastante disputado, o Liverpool teve mais ocasiões de golo, mas só o alcançou aos 50 minutos quando Salah foi carregado depois de uma jogada individual dentro da área da formação da casa, encarregando-se depois de converter o penálti que se revelou decisivo para a vitória alcançada.

Com este resultado, a turma da cidade dos Beatles confirma a liderança da Premier League, com 57 pontos somados em 22 jornadas, e fica à espera do desfecho do jogo do Manchester City (50 pontos), o seu perseguidor mais direto que recebe no domingo o Wolverhampton, de Nuno Espírito Santo.

Já o Burnley recebeu e venceu o Fulham por 2-1, beneficiando de dois autogolos de Joe Bryan e de Dennis Odoi, quase seguidos (20 e 23 minutos), enquanto o alemão Andre Schurrle marcou para os visitantes logo aos dois minutos do encontro.

O jogo entre o Cardiff e o Huddersfield terminou sem golos, enquanto o Crystal Palace foi derrotado em casa pelo Watford por duas bolas a uma, idêntico resultado ao verificado entre o Leicester e o Southampton.

Gunners em queda

Por seu turno, o Arsenal perdeu por um golo sem resposta na visita ao West Ham, e já não ganha um jogo fora de casa para a liga inglesa de futebol desde novembro, podendo ser alcançado no quinto lugar pelo Manchester United, que se desloca no domingo a Wembley para defrontar o Tottenham, naquele que é o jogo grande desta jornada por terras de Sua Majestade.

Num jogo equilibrado, a formação da casa adiantou-se no arranque do segundo tempo (48 minutos) através do defesa irlandês Declan Rice, que aproveitou uma assistência de Samir Nasri, e o marcado não voltou a mexer até ao final do encontro.

O Arsenal já não vence fora desde a deslocação ao estádio do Bournemouth, a 25 de novembro, numa sequência de cinco visitas sem amealhar os três pontos.

José Gomes estreia-se a vencer

O treinador português José Gomes conseguiu este sábado a sua primeira vitória no comando técnico do Reading, ao triunfar em casa frente ao Nottingham Forest por 2-0, na 27.ª jornada da segunda liga inglesa.

O triunfo no encontro, no qual Tiago Ilori foi titular na equipa da casa, não foi suficiente para tirar o Reading da zona de descida, com um ponto de vantagem sobre o penúltimo classificado, e cinco sobre o último.

Do lado do Nottingham Forest, que terminou reduzido a nove jogadores, o português Diogo Gonçalves entrou aos 68 minutos para o lugar de Joe Lolley.

José Gomes chegou ao Reading em 22 de dezembro, depois de ter rescindido com o Rio Ave, tendo até à entrada para a jornada deste fim de semana perdido três encontros e empatado um.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.