Quatro nadadores fazem mínimos para Tóquio 2020

Quatro nadadores fizeram mínimos para os Jogos Olímpicos 2020 nos campeonatos nacionais que terminaram este domingo, em Coimbra. Tantos como Portugal levou na natação para ao Rio de Janeiro em 2016 e falta mais de um ano para Tóquio. Bateram-se 32 recordes nacionais.

Alexis Santos irá participar pela segunda vez nos Jogos Olímpicos (JO) ao bater o recorde nacional dos 200 estilos, sábado à tarde, e alcançar com margem os mínimos para Tóquio 2020. Foi na final da prova no Campeonato Nacional de Juvenis Juniores e Absolutos, que decorreu entre quinta e domingo, em Coimbra.

O nadador do Sporting terminou com 1.58,19 minutos, recuperando o seu recorde que, na manhã do mesmo dia, Gabriel Lopes lhe havia retirado ao fazer 1.58,59 m na prova de eliminação. O atleta do Louzan Natação, nascido em 1997, também garantiu os mínimos para Tóquio.

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Alexis participou nas provas de 200 m e 400 m estilos, tendo alcançado o 12. º lugar nos 200 m estilos. Para 2020, o objetivo é participar na final, disse à Federação Portuguesa de Natação. "O Gabriel Lopes ao bater o recorde de manhã motivou-me. Não tenho dúvidas que se o Gabriel não tem feio recorde eu não teria feito. Ele também está de parabéns. Estou muito feliz. O objetivo no Rio foi a meia final fiz 12.º. Em Tóquio, o objetivo é a final. Sei que é difícil, mas vou continuar a trabalhar para chegar à final olímpica que tanto se fala no mundo da natação".

Alexis é, para já, o único repetente confirmado dos Olímpicos. Diogo Carvalho que o acompanhou na prova dos 200 m estilos no Rio de Janeiro, ficou em segundo na final deste sábado, em Coimbra, com 2.00,55 m. Gabriel Lopes prescindiu da sua participação na final.

Mas, se sábado foi um dia forte para os homens, o dia das mulheres foi logo na primeira jornada, na quinta-feira.

Diana Durães terminou destacada a prova dos 1500 m, com 16.31,16 minutos, alcançando os mínimos para os JO.

A atleta do Benfica tem 22 anos e o recorde nacional da prova já lhe pertence com 16.15,60, tempo alcançado em junho do ano passado em França.

A segunda mulher a alcançar mínimos foi Ana Catarina Monteiro, ao ganhar os 200 metros mariposa com 2.08,40 m. Uma conquista para esta atleta do Fluvial Vilacondense, nascida em 1993, depois de um ano de 2016 complicado. E que, também, detém o melhor tempo desta prova, 2.08,03 m, obtido em junho do ano passado em Glasgow.

Falta mais de um ano para os Jogos Olímpicos de 2020, em julho e agosto na capital japonesa, existindo muitos nadadores a tentar alcançar os mínimos até lá, não só na natação pura como nas águas abertas. Para já, uma certeza: não estarão menos nadadores de natação pura representados do que em 2016.

As próximas grandes competições internacionais são os campeonatos mundiais da Coreia, de 22 a 28 de julho, e os mundiais de juniores da Hungria, de 20 a 25 de agosto. E, além dos quatro olímpicos, muitos outros atletas alcançaram mínimos em Coimbra para estes campeonatos. E foram batidos 32 recordes nacionais.

Ler mais

Exclusivos