Pedro Proença: "Gil Vicente na I Liga é um facto adquirido"

O presidente da Liga anuncia o fim de um caso após uma reunião com os clubes profissionais

Pedro Proença, presidente da Liga de Clubes, anunciou esta segunda-feira o encerramento definitivo do caso que envolve a participação do Gil Vicente na próxima edição da I Liga, depois de uma reunião com os clubes que compõem o escalão principal, à exceção de Benfica, Sporting e FC Porto.

"O Gil Vicente para o ano estará na primeira liga, isso era um facto adquirido, mas havia algumas questões que era necessário interpretar, nomeadamente a nível de regulamento", adiantou Proença no final da reunião, enaltecendo o comportamento dos diversos clubes presentes no encontro: "Foi uma reunião que correu com um espírito muito aberto, de grande disponibilidade, os clubes têm um sentido de responsabilidade muito elevado."

"O caso do Gil Vicente esteve em discussão e não podíamos deixar de dar uma palavra de agradecimento à Federação. Nunca é fácil quando temos um processo com mais de treze anos, que não teve uma decisão definitiva. Hoje demos um esclarecimento a bem da competição", concluiu o presidente da Liga.

À saída da reunião, Paulo Menezes, presidente do Paços de Ferreira, assumiu que com a reintegração do Gil Vicente "há outras questões por resolver", considerando que esta reunião foi "o ponto de partida" para que elas sejam resolvidas. "Queremos cumprir regulamentos, mas queremos criar condições para que o clube que for afetado seja afetado da menor maneira possível", disse, referindo-se ao facto de esta época descerem três equipas à II Liga, ao contrário das duas regulamentares.

O líder dos pacenses explicou depois que tem de haver uma compensação para o clube que for atingido pela subida do Gil Vicente e descer no antepenúltimo lugar da I Liga. "Passará pela questão do conforto financeiro, que saberemos avaliar e decidir em sede própria muito brevemente. É por aí que temos de criar as condições. Este é o ponto de partida e iremos tentar perceber em que moldes será feito", sublinhou, assumindo que "o que foi falado até ao momento foi precisamente o antepenúltimo" a ser ressarcido.

Exclusivos