Patrícia Mamona: "Por favor não me chamem Serena Williams"

Saltadora do Sporting voltou a abordar a recusa da discoteca Lux em deixá-la entrar. E pede para não ser comparada à tenista americana que discutiu com o árbitro português Carlos Ramos na final do US Open

Patrícia Mamona voltou a falar da recusa da discoteca Lux em deixá-la entrar. Servindo-se novamente da rede social Instagram, a atleta quer colocar um ponto final no assunto apesar de ainda não ter a certeza se da decisão do segurança foi uma questão de racismo ou não.

Eis o post na íntegra:

Ter um "Feeling" (nem sei que tipo de feeling é esse) para mim não foi um bom argumento. Contudo fiquem descansados que situação foi facilmente resolvida da maneira que achamos correta, fomos embora e prontos. Como muitos dizem aqui, deal with it Patrícia , percebi a mensagem! Racismo ou não, não sei, espero que e tenha sido ilusão minha, discriminação provavelmente, mas já passou! Aos meus amigos que diziam que nunca mais iam lá voltar, opa deixem-lá... Eles lá tem as suas ter as suas razões... Por favor não me chamem de Serena Williams, estou apenas a ser eu, e desculpem se ofendi alguém por ser eu. Tenho uma época desportiva muito difícil pela frente , e é isso que tenho que me focar. Aprender a lidar com as situações que aparecem por mais difícil que sejam , o caminho é em frente, tudo isto é uma lição de vida. Vamos a dar a volta por cima e deixar bem claro aos meus amigos estrangeiros que nós Portugueses sabemos SIM tratar bem das pessoas, e não é só porque alguém que estava de mau humor não os deixou divertir uma noite numa discoteca que temos que voltar para casa tristes... há outros sítios para ir e para a próxima isto já não acontece. Foi apenas um segurança que não deixou entrar... amanhã o outro deixa!

Ler mais

Exclusivos