Nuno Pinto: "Dentro em breve voltarei a fazer o que mais gosto"

Lateral esquerdo do Vitória de Setúbal, que luta contra um linfoma, reagiu no Facebook às muitas imensas mensagens de apoio que tem recebido

Nuno Pinto, lateral esquerdo do Vitória de Setúbal que teve nos últimos dias de interromper a carreira para lutar contra um linfoma (tumor das células sanguíneas que se desenvolvem a partir das células linfáticas), reagiu nas redes sociais às muitas mensagens de apoio que tem recebido.

"Quero agradecer o apoio que me estão a dar. Infelizmente não consigo responder a todos, mas a vossa força é a minha força e dentro em breve voltarei a fazer o que mais gosto. Fé, foco e força, estamos sempre juntos. Um obrigado do fundo do coração e lembrem-se que como eu existem milhares no nosso país, a saúde é a única coisa que não controlamos, portanto isto que seja um exemplo para todos. Juntos até ao fim. Este jogo é o mais importante da minha vida mas o resultado será só um: a Vitória", escreveu o defesa de 32 anos no Facebook.

Este domingo, o presidente dos sadinos, Vítor Hugo Valente, anunciou a situação em conferência de imprensa, admitindo que o problema de saúde do jogador "é um choque". companhado de todos os jogadores do plantel sadino, equipa técnica, staff ligado ao futebol, funcionários do cube, família e alguns associados, Nuno Pintou ouviu palavras de conforto e sem esconder a emoção. "Ele é um guerreiro e Deus dá grandes batalhas aos grandes guerreiros. Todos temos a certeza que o Nuno vai vencer esta batalha", disse o capitão Vasco Fernandes, em nome de todo o grupo de trabalho.

No mesmo evento, o médico Ricardo Lopes acompanhou o jogador e falou num "prognóstico bom", dizendo que a situação já está a ser acompanhada pelo IPO de Lisboa. "O tipo e extensão do linfoma estão ainda dependentes dos resultados dos exames realizados e que vai realizar", anunciou o responsável clínico do clube.

Depois de ter começado a jogar no Vilanovense, Nuno Pinto foi ainda como infantil para o Boavista, onde fez toda a formação e se estreou-se na equipa principal em 2006/07. Saiu depois por empréstimo para o Trofense na temporada seguinte. Em 2008, assinou pelo Nacional, ficando três anos e meio na Madeira até iniciar quatro temporadas e meia no estrangeiro (Levski Sófia, Tavriya e Astra Giurgiu).

Regressou em 2015 à Liga portuguesa pelo Vit. Setúbal, assumindo-se desde início como titular na equipa dos sadinos. Esta época, levava já 12 partidas oficiais (dez a contar para o Campeonato, uma para a Taça de Portugal e uma para a Taça da Liga).

Ler mais

Exclusivos