Luís Filipe Vieira atira-se ao VAR: "Hoje, na dúvida é fácil castigar o Benfica"

Presidente do Benfica fez discurso inflamado em Braga, após eliminação dos encarnados nas meias finais da Taça da Liga, frente ao FC Porto (3-1) esta terça-feira. E fez uma denúncia: "Há árbitros condicionados, que foram ameaçados. Eles sabem! Não querem descobrir a verdade não sei porquê."

Luís Filipe Vieira atirou-se à arbitragem de Carlos Xistra no clássico, após a derrota do Benfica, por 3-1, e visou também o videoárbitro, que estava a cargo de Fábio Veríssimo. Tudo por causa de um golo anulado a Pizzi à beira do intervalo, que daria o empate aos encarnados.

"Estamos preocupados e de que maneira. Debaixo desta nuvem de fumo dos e-mails, dos malas ciao e de tudo o que anda para aí, já toda a gente nos condenou na praça pública mas até agora nenhum tribunal condenou nem vai fazê-lo de certeza. Quando vemos um homem que está com câmaras de televisão à frente e um árbitro que não consegue ver um fora-de-jogo e faltas a meio-campo, então esse homem não pode apitar mais", atirou o presidente do Benfica, no final do jogo, em Braga, numa declaração aos jornalistas.

E questionou a expulsão de Rui Costa do banco: "Quando, com uma televisão à frente, tem a lata de dizer ao árbitro para anular o primeiro golo do Benfica... Menos mal que depois o árbitro tem a coragem de o validar... Isto é algo que nos deixa cada vez mais preocupados. Um homem destes, com não sei quantas câmaras, não vê que não é fora de jogo. Hoje, na dúvida é fácil castigar o Benfica. Ainda hoje perdemos o Rui Costa, que foi expulso. Já nos tiraram o Tiago Pinto, o Rui Costa... E depois assistimos o que é um banco e o outro. Da nossa parte qualquer pessoa que é expulsa é castigada severamente e assim vamos passando e distraindo uns com os outros."

Para lá de ter visado diretamente a atuação de Fábio Veríssimo no papel de VAR, Luís Filipe Vieira apontou baterias para José Fontelas Gomes, o presidente do Conselho de Arbitragem: "Já fui ao Conselho da Arbitragem, onde tive a ousadia de dizer ao presidente que muita da culpa é deles. Porque basta ver o que se passou com a história dos emails, basta ver que houve árbitros que foram praticamente escorraçados da arbitragem. Nem sabemos porquê. Além disso, ele sabe - e eu também -, que há árbitros condicionados, que foram ameaçados. Eles sabem! Não querem descobrir a verdade não sei porquê."

Vieira deixou ainda uma garantia aos adeptos. "Ninguém nos vai vergar e hoje isso ficou aqui bem demonstrado neste campo. A tal equipa que era para abater levantou-se, foi para dentro de campo, deu show de bola nos primeiros 30 minutos e não virou o resultado manifestamente por má sorte. Quero dizer isto aos nossos adeptos: acreditem, o nosso grande objetivo é a Europa e o campeonato, e não é preciso reforços como andam aí a falar, porque o valor está cá dentro desta casa", garantiu o líder das águias.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.