João Félix: "O Cristiano é o Cristiano e eu quero ser eu mesmo"

Jovem avançado internacional português de 19 anos foi esta segunda-feira apresentado à imprensa como reforço do Atlético Madrid

Apresentado esta segunda-feira à imprensa como novo jogador do Atlético Madrid, João Félix não se alongou muito sobre os 126 milhões de euros que os colchoneros pagaram por ele.

"Não percebo nada de mercado. Faço apenas o meu trabalho e dou o meu melhor para ajudar o clube onde estou", afirmou o jovem avançado português, 19 anos, assegurando que não sente pressão nem por ser o jogador mais caro da história do clube espanhol nem por ser o sucessor de Antoine Griezmann nem por ser o futebolista português mais caro de sempre, superando Cristiano Ronaldo: "Desligo-me um bocado disso. Não leio, mais vale não ver."

Questionado sobre os nove anos que Cristiano Ronaldo passou no Real Madrid e se quer ser para o Atlético o mesmo que o compatriota significou para o rival, João Félix rejeita comparações. "O Cristiano é um grande jogador, o melhor do mundo e se calhar também o melhor de sempre. Sempre falou muito de Madrid e disse que gostou muito, mas estou aqui para fazer a minha história. O Cristiano é o Cristiano e eu quero ser eu mesmo", vincou.

O internacional luso revelou que está a ser "muito bem" recebido e que isso terá reflexos no seu desempenho. "Puseram-me à vontade no grupo, o que é muito bom, pois deixa-me mais confiante para integrar a equipa", afirmou, garantindo que não está assustado por se aventurar no estrangeiro: "Terei sempre os meus pais e os meus amigos, sozinho nunca vou estar."

Já interrogado sobre o dérbi com Real Madrid que vai decorrer na madrugada de 27 de julho nos Estados Unidos, considerou que "jogar com o Real Madrid é sempre bom, porque é um grande clube" e que por estar no Atlético, será "um jogo ainda mais especial", pois "é um rival".

Para trás fica o Benfica, clube que gostava de rever na Liga dos Campeões, desde que passassem os dois em frente na prova, e ao qual está agradecido, tendo deixado também elogios a Bruno Lage. "O mister Bruno Lage foi muito especial para mim, foi quem me meteu lá dentro de verdade. Já lhe agradeci pela forma como me tratou. Foi difícil deixar as pessoas e a minha casa, não é fácil sair de Portugal, mas todos desejaram-me muita sorte e eu vou estar sempre a torcer por eles. Recebi mensagens de todos os jogadores. Foi um campeonato difícil e que terminou da minha maneira", recordou.

O 7 do compromisso

João Félix vai vestir a camisola 7, que pertencia a Antoine Griezmann, a quem o presidente Enrique Cerezo deixou uma indireta, ao apelidar a camisola 7 de "camisola do compromisso". Sobre o jovem avançado português, o líder colchonero teceu rasgados elogios. "A sua progressão não tem limites. Vamos potenciar esse talento com esforço, trabalho e sacrifício. Tem todo o apoio do clube e dos melhores adeptos do mundo. Bem-vindo João ao Atlético Madrid. Esperamos que tu sejas história", atirou.

Também presentes na cerimónia estiveram duas lendas do emblema da capital espanhola, Abelardo Rodríguez e Paulo Futre. O internacional português desdobrou-se em elogios ao reforço do Atlético Madrid e confessou o seu alívio por o jovem jogador não ter ido parar a outro clube. "Durante meses ouvi dizer que ele ia para o Real Madrid, para o Barcelona, para o Paris Saint-Germain, para a Juventus... quando soube que ele vinha para aqui, foi uma felicidade incrível. Muito contente também por ser um português, porque não tenho dúvidas que ele vai ultrapassar o que fiz. Quando João Félix começou a jogar no Benfica, tinha sete pontos de atraso pelo FC Porto, e depois sagrou-se campeão", rematou.

Exclusivos