Jaime Marta Soares diz que não recusou lista de Bruno de Carvalho e explica confusão

Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting não recebeu mandatário do líder destituído, que se deslocou a Alvalade para oficializar a candidatura à presidência leonina, a votos no dia 8 de setembro.

"Não, não. Eu não recusei lista alguma. Eu fui a Alvalade tratar de assuntos da MAG e quando ia a entrar vi que estavam lá jornalistas, que me perguntaram se estava ali para receber a lista de Bruno de Carvalho. Eu disse que isso para mim era uma novidade, já que as listas só podem ser entregues ao presidente da Mesa e que eu não tinha sido avisado de qualquer entrega de candidatura", explicou ao DN Jaime Marta Soares.

Depois de tratar do que tinha ido tratar ao Estádio José Alvalade, o líder da MAG, saiu e voltou a ser confrontado pelos jornalistas: "Perguntaram se já tinha recebido a lista e eu perguntei, qual lista? Não vi ninguém, ninguém me apresentou lista alguma. Insistiram e perguntaram se eu recebi a lista de Bruno de Carvalho e eu respondi que receberia todas as listas que não estejam feridas de legalidade. E toda a gente já sabe que Bruno de Carvalho e Carlos Vieira estão suspensos da sua atividade de sócios, por isso se me vieram entregar listas onde eles figurem eu não as posso aceitar, porque não posso cometer uma ilegalidade."

Resumindo: "Não recusei lista alguma, porque não em foi apresentada qualquer lista. Só informei que todas as listas com sócios sob alçada disciplinar e suspensão não serão aceites. Se a Comissão de Fiscalização me informar que são sócios plenos de direitos, então terei de os aceitar. Isto é claro como a água."

Por isso lembra a todos os candidatos que devem informar a Mesa e combinar o dia, a hora e o local para o fazerem, para que eu, presidente da Mesa, e os serviços estejamos a postos para verificar a legitimidade das candidaturas. Se estiver tudo Ok dou-lhes um documento a dizer que está tudo conforme, se não é-lhes dado um prazo para retificarem o que tiverem a retificar".

"O Sporting já não é do sr. Bruno de Carvalho"

Segundo Marta Soares todos os candidatos sabem, ou deviam saber que a entrega de listas obedece a uma logística estatutária e tem de ser "entregue a quem tem responsabilidade estatutária". Por isso, lamenta que o mandatário de Bruno de Carvalho "armasse um fait divers" ao anunciar a entrega da candidatura, "para criar mais alguma situação de instabilidade, como se já tivessem criado poucas nos últimos meses".

E se Bruno de Carvalho ou o seu mandatário pedir hora para entregar a lista. Vai receber? "Eu para ver se as listas têm sócios em condições de ir a votos tenho de olhar para a lista e para isso tenho de a receber. E como é normal, começa-se por quem encabeça a lista e se vir que ela é encabeçada por Bruno de Carvalho, claro que tenho de a rejeitar", respondeu o líder da Mesa.

O mandatário do ex-presidente, Pedro Proença, disse a viva voz que tinha informado os serviços. "Isso é mentira. Mas informou quem dos serviços? O contínuo, a mulher da limpeza, quem? Mas agora o Sporting está a a saque? Existe um funcionamento institucional e legal que é preciso cumprir. O Sporting já não é do senhor Bruno de Carvalho. O Sporting tem um presidente da Mesa, uma Comissão de Gestão e uma Comissão de Fiscalização, que estão lá para fazer cumprir a lei, mesmo que isso chateie um ex-presidente", lembrou Marta Soares.

Listas até 8 de agosto

Os candidatos à presidência do Sporting devem apresentar as listas até 30 dias antes do ato eleitoral marcado para dia 8 de setembro, no Estádio José Alvalade. Ou seja até 30 de agosto. E estão obrigados a apresentar listas para todos os órgão sociais do clube, Conselho Diretivo, Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar.

Para já são oito os putativos candidatos a presidente do clube de Alvalade: Frederico Varandas, Fernando Pereira, Pedro Madeira Rodrigues, Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Dias Ferreira, João Benedito e Zeferino Boal. Dionísio Castro chegou a anunciar intenção de se candidatar, mas já desistiu da corrida eleitoral.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.