Higuaín apresentado no AC Milan: "Não me arrependo de não jogar com Ronaldo"

Avançado argentino transferiu-se da Juventus para o AC Milan. E diz que chegou a um clube com "uma história imensa".

O avançado argentino Gonzalo Higuaín foi nesta sexta-feira apresentado como reforço do AC Milan, clube onde chega proveniente da Juventus. E prometeu fazer tudo o que estiver ao seu alcance para voltar a colocar o histórico clube de Milão no "lugar que merece".

"Este novo desafio é motivador e espero conseguir corresponder à confiança que depositaram em mim. Cheguei a um clube como uma história imensa", referiu o internacional argentino, deixando uma palavra aos adeptos da Juventus: "Agradeço o apoio que sempre me deram. Passei bons anos no clube."

Higuaín comentou ainda o interesse do Chelsea na sua contratação e explicou as razões de não ter viajado para Londres. "Tenho uma enorme estima por Maurizio Sarri [italiano que vai treinar o Chelsea]. Mas o único que me queria no Chelsea era ele e aqui no AC Milan todos me queriam. E isto para um jogador de futebol é o mais importante", referiu.

Higuaín, curiosamente, deixa a Juventus precisamente no momento em que o campeão italiano contratou Cristiano Ronaldo. "Não me arrependo de não jogar com o Cristiano Ronaldo. Já joguei com ele", observou, perante a insistência dos jornalistas, acrescentando: "É um motivo de orgulho poder representar este clube. E estou muito entusiasmado com este novo desafio."

O argentino de 30 anos chega ao AC Milan por empréstimo, com o clube milanês a pagar já 18 milhões de euros à Juventus, ficando opção de compra do jogador no final da época por 36 milhões de euros.

A Juventus, por seu turno, anunciou a contratação ao AC Milan do internacional italiano Leonardo Bonucci, que regressa assim a Turim para assinar com o clube um contrato de cinco anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.