Frederico Varandas escreve carta aberta ao presidente da federação de patinagem

Ainda a propósito das agressões no FC Porto-Sporting de hóquei em patins, presidente leonino lamenta "10 dias sem uma reação" de Luís Sénica

Frederico Varandas escreveu esta quarta-feira uma carta aberta ao presidente da Federação Portuguesa de Patinagem na qual refere ser "incompreensível" o silêncio de Luís Sénica face aos incidentes ocorridos no Dragão Caixa, no jogo do nacional de hóquei em patins entre FC Porto e Sporting.

"Passaram 11 dias desde os vergonhosos acontecimentos (...) que culminaram nas cobardes e bárbaras tentativas e agressões ao Director Geral das Modalidades do Sporting CP e a sua esposa, também colaboradora do Sporting CP. E passaram 10 dias sem uma reacção, condenação e intervenção pública de V.Exa. e da Federação que representa", começa por apontar o presidente leonino.

"Para o Sporting Clube de Portugal, uma instituição centenária com milhares de associados e milhões de adeptos, que têm aportado muito às modalidades e ao Hóquei em Patins em particular, é absolutamente incompreensível que os acontecimentos que visualizou e que certamente o chocaram não tenham merecido da Federação presidida por V.Exa. o mais firme repúdio", acrescenta Varandas, que sublinha que " este não é um problema do Sporting Clube de Portugal, mas sim um problema do Desporto Nacional. As tomadas de posição públicas sobre os lamentáveis acontecimentos do Dragão Caixa são essenciais para a prevenção da violência e, por isso, são essenciais a todos os Desportos e, em particular, à modalidade".

Pedido de audiência ao Governo e conversa com Fernando Gomes

Além da carta aberta enviada a Luís Sénica, o presidente do Sporting fez seguir já também um pedido de audiência para o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, tal como tinha prometido fazer na conferência de imprensa que promoveu no dia 18 de março, a reagir aos casos de agressões ocorridos no FC Porto-Sporting de hóquei em patins e no Boavista-Sporting de futebol.

Entretanto, ao que sabe o DN, Frederico Varandas já falou com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, sobre a problemática da violência no futebol e necessários mecanismos de prevenção e combate ao fenómeno.

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.