Football Leaks está de volta e com recado à PJ: "Apanhem-me se puderem"

O portal que revelou vários contratos ligados a clubes de futebol voltou a publicar uma mensagem cinco meses depois, curiosamente na semana em que foi noticiada a identidade do suspeito de roubar os emails do Benfica

Depois de cinco meses de inatividade, a página de Facebook do Football Leaks voltou a colocar uma mensagem, neste caso uma provocação à Polícia Judiciária, numa altura em que a revista Sábado revelou o nome do principal suspeito de ter roubado os emails do Benfica, que estará também associado ao portal que revelou vários contratos e documentos secretos de Benfica, FC Porto, Sporting e do fundo Doyen Sports.

A mensagem deixada no Facebook é esclarecedora. "@PJ looking for me? LOL #catchmeifyoucan (PJ à minha procura? Apanhem-me se puderem)"

O principal suspeito de ter entrado nos servidores informáticos do Benfica e alegadamente roubado emails é um jovem com menos de 30 anos, segundo revela a edição desta quinta-feira da revista Sábado.

Segundo aquela publicação, as autoridades acreditam que um português de nome Rui Pinto, que está em Budapeste, na Hungria, será o responsável. O jovem é considerado um "génio dos computadores", que já terá desviado "270 mil euros das ilhas Caimão".

Este alegado pirata informático terá ainda criado o Football Leaks, onde revelou informações do fundo de jogadores Doyen Sports, FC Porto, Sporting e Benfica. Segundo a Sábado, "está a ser investigado em Portugal e Espanha".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.