Estádio da Luz interditado por mais um jogo

Decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol em novo caso relacionado com o alegado apoio a claques ilegais

O Benfica foi punido com mais um jogo de interdição do Estádio da Luz, na sequência de um processo disciplinar que diz respeito ao jogo Benfica-Paços de Ferreira da época 2017-18. Mais uma vez, está em causa o alegado apoio do Benfica a claques ilegais, motivo de uma queixa apresentada pelo Sporting em outubro de 2017.

Recorde-se que o clube encarnado já tinha sido castigado com quatro jogos de interdição, a 12 de fevereiro, mas conseguiu então suspender a pena com o recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD), onde o processo se encontra ainda em apreciação. Também desta vez o Benfica já anunciou recurso para o TAD.

Em dezembro, relembre-se, a Comissão de Instrutores (CI) da Liga terminou a instrução sobre 13 jogos do Benfica, dos quais o Sporting tinha feito participação, considerando que não havia motivo para deduzir acusação. Uma versão que o Conselho de Disciplina da FPF recusou. O órgão federativo mandou deduzir acusação em sete dos jogos, considerando que os outros seis já tinham prescrito, e decidiu depois por um castigo de quatro jogos de interdição para a Luz.

À margem desses jogos, correu em processo disciplinar separado a queixa sobre este encontro com o Paços de Ferreira, que foi então decidido esta terça-feira com o CD a decidir-se por mais um jogo de interdição.

O Benfica já reagiu a mais este castigo imposto pelo Conselho de Disciplina e anunciou novo recurso para o TAD.

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD informa que irá apresentar uma providência cautelar junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) com efeitos suspensivos imediatos da decisão proferida pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol que decreta a interdição do Estádio da Luz por 1 jogo. Consideramos totalmente inaceitáveis e injustificáveis as razões invocadas para tal decisão e estamos convictos de que conseguiremos fazer valer as nossas razões no decurso deste processo", escreveu o clube da Luz no seu site oficial.

Ler mais

Exclusivos