Do Ajax ao Barcelona. Conheça os possíveis adversários do FC Porto

O sorteio dos quartos-de-final da Champions é já esta sexta-feira e os jogos estão marcados para abril. Em prova estão quatro equipas inglesas e pode haver um encontro com Cristiano Ronaldo (Juventus). Ajax é aparentemente o adversário mais acessível

Já estão definidas as oito equipas que vão estar presentes nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, onde o único representante português é o FC Porto. Esta quarta-feira, Barcelona e Liverpool juntaram-se aos restantes emblemas que vão estar presentes no sorteio desta sexta-feira, que se realiza em Nyon, na Suíça. Nesta fase da prova milionária todos os adversários merecem respeito, mas teoricamente o Ajax parece ser o mais acessível, apesar de ter eliminado o Real Madrid nos oitavos-de-final.

Tottenham

O Tottenham é o atual terceiro classificado da Premier League e vai tentar atingir pela segunda vez na sua história as meias-finais da Liga dos Campeões, sendo que a única vez que lá chegou foi eliminado pelo Benfica, que se sagraria bicampeão europeu em 1961/61. Orientados pelo argentino Mauricio Pochettino, os spurs têm algumas das principais figuras que evoluem em Inglaterra, com especial destaque para o dinamarquês Christian Eriksen e os internacionais ingleses Eric Dier (ex-Sporting), Dele Alli e Harry Kane, que é o goleador da equipa, contabilizando 17 golos no campeonato e cinco na Champions. O clube londrino ficou em segundo lugar no grupo B da Champions, atrás do Barcelona, e à frente de Inter Milão e PSV Eindhoven, tendo nos oitavos-de-final eliminado o Borussia Dortmund com duas vitórias (3-0 e 1-0). O FC Porto poderá tornar-se o primeiro clube a jogar no novo estádio do Tottenham, cuja inauguração está para breve. Refira-se que os dragões têm apenas dois jogos realizados diante dos spurs, numa eliminatória da extinta Taça das Taças de 1991/92, em partida da 2.ª eliminatória que acabou por sorrir aos ingleses: a um 0-0 no Estádio das Antas, responderam os spurs com um triunfo em casa por 3-1, com dois golos de Gary Lineker e um de Gordon Durie, tendo Kostadinov marcado para os portistas então treinados por Carlos Alberto Silva.

Manchester United

O Manchester United parece ter começado uma época diferente desde que Ole Gunnar Solskjaer chegou ao comando da equipa, após a saída de José Mourinho. O expoente máximo das mudanças nos red devils foi a surpreendente eliminação do PSG nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Após uma derrota por 2-0 em Old Trafford, o Manchester United, com muitas ausências e num jogo dramático, trouxe de Paris uma vitória por 3-1 e seguiu em frente na competição. O clube luta atualmente pelos lugares europeus na Premier League e foi ainda com Alex Ferguson e Cristiano Ronaldo que levantou a última Liga dos Campeões, em 2007/2008. FC Porto e Manchester United defrontaram-se por oito vezes nas competições europeias. Os dragões venceram por duas vezes, perderam três e empataram os restantes jogos. E é curiosamente um empate frente ao United o jogo que mais boas memórias traz aos portistas. Nos oitavos-de-final da Champions de 2003/2004, o FC Porto de José Mourinho defendia uma vantagem de 2-1 em Old Trafford. A escassos momentos do apito final os dragões estavam fora da prova, mas um golo de Costinha que ficou na história qualificou o FC Porto. Nesse ano os dragões só pararam quando levantaram o troféu da Liga dos Campeões.

Juventus

Outra equipa a evitar pelo FC Porto. Aliás, a forma como o crónico campeão italiano eliminou o Atlético Madrid (venceu por 3-0, com três golos de Ronaldo, depois de ter perdido por dois em Madrid) nos oitavos de final diz tudo sobre o poderio da vecchia signora. CR7 é a estrela maior de uma equipa que conta ainda no plantel com João Cancelo, Pjanic, Matuidi, Dybala, Mandzukic, entre outros. Na liga italiana, a Juve lidera confortavelmente - tem mais 18 pontos do que o Nápoles, segundo classificado. Juventus e FC Porto já se defrontaram cinco vezes (quatro vezes na Champions e uma na já extinta Taças das Taças), com clara vantagem dos italianos - quatro vitórias e um empate. A igualdade foi alcançada em outubro de 2001, na fase de grupos da Liga dos campeões, com um empate a zero no antigo Estádio das Antas. Quando no verão o clube italiano pagou mais de 100 milhões de euros ao Real Madrid pela contratação de Ronaldo, colocou como um dos objetivos da temporada a conquista da Champions, que foge ao clube desde a época 1995/96, quando venceram o Ajax no desempate por grandes penalidades.

Barcelona

É outro 'tubarão' que dava jeito evitar. O clube catalão que tem Lionel Messi (curiosamente estreou-se pelo Barça num jogo particular frente ao FC Porto, em novembro de 2003, na inauguração do Estádio do Dragão) como estrela maior, e onde também atua o lateral português Nélson Semedo, deixou pelo caminho nos oitavos de final o Olympique de Lyon e é o único representante espanhol na Liga dos Campeões, depois das eliminações do Real e Atlético Madrid. O Barcelona de Ernesto Valverde é líder do campeonato espanhol, já a sete pontos do Atlético Madrid, e tem com objetivo voltar a festejar a conquista de uma Champions - o último triunfo foi na época 2014/15, quando bateram na final da competição milionária a Juventus. Barcelona e FC Porto já mediram forças oito vezes em provas da UEFA e os dragões venceram três desses jogos. Na Taça UEFA de 1972/73 eliminaram os catalães com uma vitória nas Antas (3-1) e em Camp Nou (0-1). O outro triunfo aconteceu em 1985, com nova vitória por 3-1, mas que na altura não chegou para seguir em frente na Taça dos Campeões Europeus porque em casa o Barcelona bateu os dragões por 2-0.

Ajax

O emblema holandês chega a esta fase da competição depois do estrondoso triunfo 4-1 em pleno Santiago Bernabéu, tirando de cena o Real Madrid, vencedor das últimas três edições da Liga dos Campeões, prova que o Ajax venceu pela última vez em 1994/1995. Sem surpresas, é uma equipa que dá prioridade ao bom futebol, assente em jovens estrelas como De Jong, a caminho do Barcelona, ou De Ligt, pretendido por toda a Europa. Jogadores como Tadic, Zyiech ou Tagliafico também se destacam num conjunto que está em 2.º lugar no campeonato holandês, que não vence desde 2013/2014. O Ajax tem um historial claramente negativo frente ao FC Porto: uma vitória, um empate e quatro derrotas. Foi precisamente frente aos holandeses, na altura comandados por Cruyff, que os dragões conquistaram a Supertaça Europeia de 1987, depois de duas vitórias por 1-0. A única vez que a equipa de Amesterdão ganhou aos azuis e brancos foi 1998/1999, na fase de grupos da Champions, por 2-1.

Manchester City

A injeção de dinheiro e de jogadores de classe mundial no Manchester City nos últimos anos fazia antever glória europeia. No entanto, o potencial dos citizens nunca deu grandes resultados e apenas por uma vez o clube chegou às meias-finais da Liga dos Campeões: foi eliminado pelo Real Madrid em 2015/2016. Esta temporada, nos oitavos-de-final, a equipa de Guardiola, que tem em Bernardo Silva uma das suas maiores referências, mandou uma mensagem aos adversários, atropelando o Schalke por 7-0. Com este resultado o City igualou duas goleadas impostas pelo Bayern Munique, em 2012 e 2015, como os resultados mais desnivelados nesta fase da prova. Apenas por uma vez FC Porto e Manchester City foram sorteados para disputar uma eliminatória. Aconteceu em 2011/2012, nos 16 avos de final da Liga Europa, e com vantagem clara para os ingleses. Na primeira mão, o FC Porto de Vítor Pereira perdeu em casa por 2-1, sofrendo uma goleada por 4-0, uma semana depois, frente à equipa então comandada pelo italiano Roberto Mancini.

Liverpool

Finalista vencido da última edição da Liga dos Campeões, o Liverpool não está a ter vida fácil esta época, mas ultrapassou o Bayern Munique e é sempre um candidato à vitória final. Ainda antes, com Paris Saint-Germain e Nápoles na fase de grupos, o caminho foi tudo menos fácil. E se na Europa a equipa de Klopp anda para a frente, em Inglaterra faz o caminho inverso. Liderou durante várias jornadas a Premier League e chegou a ter uma vantagem algo confortável sobre o perseguidor Manchester City, mas é agora a equipa de Guardiola que lidera, com um ponto de avanço. O FC Porto nunca venceu o Liverpool, somando três derrotas e três empates. Na memória recente está a eliminatória dos oitavos-de-final da Champions da época passada, em que os reds venceram no Estádio do Dragão por claros 5-0 (segunda mão terminou sem golos), iniciando uma jornada que acabou com a derrota na final da Liga dos Campeões, frente ao Real Madrid. O Liverpool venceu por cinco vezes a Liga dos Campeões, a última em 2004/2005, numa recuperação histórica frente ao AC Milan.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

Conhecem a última anedota do Brexit?

Quando uma anedota é uma anedota merece ser tratada como piada. E se a tal anedota ocupa um importante cargo histórico não pode ser levada a sério lá porque anda com sapatos de tigresa. Então, se a sua morada oficial é em Downing Street, o nome da rua - "Downing", que traduzido diz "cai, desaba, vai para o galheiro..." - vale como atual e certeira análise política. Tal endereço, tal país. Também o número da porta de Downing Street, o "10", serve hoje para fazer interpretações políticas. Se o algarismo 1 é pela função, mora lá a primeira-ministra, o algarismo 0 qualifica a atual inquilina. Para ser mais exato: apesar de ela ser conservadora, trata-se de um zero à esquerda. Resumindo, o que dizer de uma poderosa governante que se expõe ao desprezo quotidiano do carteiro?

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

A escolha de uma liberdade

A projeção pública da nossa atividade, sobretudo quando, como é o caso da política profissional, essa atividade é, ela própria, pública e publicamente financiada, envolve uma certa perda de liberdade com que nunca me senti confortável. Não se trata apenas da exposição, que o tempo mediático, por ser mais veloz do que o tempo real das horas e dos dias, alargou para além da justíssima sindicância. E a velocidade desse tempo, que chega a substituir o tempo real porque respondemos e reagimos ao que se diz que é, e não ao que é, não vai abrandar, como também se não vai atenuar a inversão do ónus da prova em que a política vive.

Premium

Marisa Matias

Penalizações antecipadas

Um estudo da OCDE publicado nesta semana mostra que Portugal é dos países que mais penalizam quem se reforma antecipadamente e menos beneficia quem trabalha mais anos do que deve. A atual idade de reforma é de 66 anos e cinco meses. Se se sair do mercado de trabalho antes do previsto, o corte é de 36% se for um ano e de 45%, se forem três anos. Ou seja, em três anos é possível perder quase metade do rendimento para o qual se trabalhou uma vida. As penalizações são injustas para quem passou, literalmente, a vida toda a trabalhar e não tem como vislumbrar a possibilidade de deixar de fazê-lo.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

O planeta dos sustentáveis 

Ao ambiente e ao planeta já não basta a simples manifestação da amizade e da esperança. Devemos-lhes a prática do respeito. Esta é, basicamente, a mensagem da jovem e global ativista Greta Thunberg. É uma mensagem positiva e inesperada. Positiva, porque em matéria de respeito pelo ambiente, demonstra que já chegámos à consciencialização urgente de que a ação já está atrasada em relação à emergência de catástrofes como a de Moçambique. Inesperada (ao ponto do embaraço para todos), pela constatação de que foi a nossa juventude, de facto e pela onda da sua ação, a globalizar a oportunidade para operacionalizar a esperança.