Djokovic bate Federer e vence Wimbledon pela 5.ª vez

Sérvio bateu Roger Federer na final, em cinco sets, pelos parciais de 7-6, 1-6, 7-6, 4-6 e 13-12.

Campeão contra tudo e quase todos os presentes no court principal do All England Lawn Tennis and Croquet Club. Novak Djokovic conquistou este domingo Wimbledon ao bater o Roger Federer, em cinco sets, pelos parciais de 7-6, 1-6, 7-6, 6-4 e 13-12.

Com o público contra o sérvio levou a melhor sobre o suíço, que procurava fazer história e conquistar o nono troféu na relva inglesa. A festa foi assim de Djokovic que ao fim de uma verdadeira maratona de emoções, surpresas, reviravoltas e bom ténis durante quatro horas e 55 minutos.

Esta era uma final histórica em Wimbledon com os veteranos Roger Federer (37 anos) e Novak Djokovic (32 anos) a dar mais uma lição de ténis à nova geração. Foi a segunda final da Era Open do ténis com jogadores mais velhos - apenas superada pela final do Open da Austrália de 1972 entre Ken Rosewall e Mal Anderson -, que durou quase cinco horas! O jogo pendeu para Novak Djokovic que salvou dois match points e acabou a celebrar com a realeza no camarote Real.

O sérvio venceu pela 16.ª vez um troféu do Grand Slam, aproximando-se do recordista Federer, que tem 20 majors, mais dois do que o espanhol Rafael Nadal.

Este foi o 48.º encontro entre os dois tenistas, com Djokovic a somar o 26.º triunfo contra 22 de Federer.

Jogo de parada e resposta

O primeiro parcial foi bastante equilibrado, com os dois tenistas a serem bastante fortes quer a servir quer a responder, exceção feita apenas quando Federer dispôs da possibilidade de fazer o único break, numa altura em que Djokovic serviu para fazer o 2-2. Seguiram-se jogos muitos curtos até ao primeiro de três tie-breaks ganho pelo sérvio, por demérito do suíço, que cometeu dois erros de direita, seguido de uma pancada à rede e uma resposta para fora, depois de ter conseguido uma vantagem com 5-3 a seu favor.

No segundo set, que durou somente 26 minutos, o líder do ranking mundial gerir o esforço, ficou aquém nos seus jogos de serviço e acabou entregar o jogo ao adversário. Ainda que tivesse de vencer o parcial dois para não ficar quase arredado da discussão, Federer nem teve que se esforçar muito para ver fazer o break por duas vezes consecutivas, disparando para uma vantagem confortável de 3-0, culminada pouco depois com um 6-1, em nova quebra.

O equilíbrio inicial voltou a verificar-se novamente no terceiro set, porém foi Roger a poder conseguir colocar-se a vencer por 6-5, não fosse o sérvio conseguir salvar o ponto de break. Seguiu-se nova decisão no tie-break e os erros voltaram a apoderar-se de Federer. Depois Nole voltou a baixar o nível permitindo duas quebras de serviço de forma consecutiva, que embalaram Roger Federer para tentar conquistar o seu 21.º major e 103.º troféu da carreira no último e decisivo set.

O suíço, que completa 38 anos em agosto, voltaria a recuperar e a ganhar o embalo que lhe poderia ter dado o nono título na relva de Wilmbledon, porém os dois match poits desperdiçados no seu jogo de serviço e quando vencia por 8-7, foram anulados de forma soberba pelo sérvio, levando a decisão para o terceiro tie-break, momento em que o líder mundial voltou a ser mais assertivo (7-3).

Federer: " Estou aqui, estou de pé e isto ainda não acabou"

Desperdiçou dois match points e acabou derrotado em cinco sets para Novak Djokovic na final de Wimbledon, mas não se deu por acabado durante a cerimónia de entrega de prémios. "Espero ter dado a alguma pessoas a esperança de acreditar aos 37 anos. Estou aqui, estou de pé e isto ainda não acabou. Foi bom, não podia ter dado mais do que dei. Sento-me bem, e espero continuar assim pelos próximo 37 anos", brincou o suíço que completa 38 anos em agosto.

Após revalidar o título, Novak Djokovic não deixou de comentar os dois match points que Federer teve, deixando também elogios ao adversário:"Joguei contra um dos melhores da história, que eu respeito muito. Infelizmente, temos de perder, ambos tivemos oportunidades. É irreal ter dois 'match points' contra e vencer."